NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Em declarações à agência Lusa, Martin Ney salientou que o fórum esteve inicialmente para ser presencial, mas que, face à pandemia de covid-19, o evento decorrerá num formato virtual, razão pela qual foi anulada a deslocação do ministro da Economia português, Siza Vieira, prevista para essa altura.

"Um dos grandes projetos que iniciamos em 2020 foi convidar Portugal para ser o país parceiro na Feira de Hanôver em 2022. Não é uma participação simples na Feira de Hanôver, pois vai decorrer ao longo de um ano (até abril de 2022). Há um programa para apresentar a capacidade de produção industrial de Portugal" na principal feira do mundo para a tecnologia industrial, sublinhou Martin Ney.

 

O diplomata alemão indicou já ter falado sobre essa alteração no formato com o ministro português, cujo fórum será realizado a partir de Lisboa e será retransmitido pela Alemanha para todo o mundo.

 

"Vamos ter na programação o Portugal Fórum num formato híbrido, em que o ministro Siza Vieira, bem como outros participantes, terão o palco para apresentar as capacidades da economia portuguesa. Em 2022, na medida em que conseguirmos ultrapassar a crise do novo coronavírus, haverá mais atividades para que Portugal possa apresentar as suas capacidades ao mundo", acrescentou.

 

Segundo Martin Ney, o convite foi formalizado e assinado em 07 de outubro de 2020, em Lisboa.

 

Em 27 do mesmo mês, o Governo português criou, por despacho, um grupo de trabalho que vai definir a intervenção e participação de Portugal na Hannover Messe 2022.

 

O despacho, assinado por Siza Vieira, define a composição da 'task force' que integra representantes do Governo - das pastas da Economia e da Transição Digital, Negócios Estrangeiros, Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e Ambiente -, da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), da Agência para a Competitividade e Inovação (IAPMEI), do Instituto do Turismo de Portugal e da Agência Nacional de Inovação (ANI).

 

O investimento na participação de Portugal na Hannover Messe 2022 não estava totalmente concluído, mas seria de cerca de quatro milhões de euros, como indicou Siza Vieira pouco depois do anúncio de que Portugal é o país parceiro do certame.

"[O Governo português] aceitou o convite que lhe foi endereçado pelo Governo alemão para participar, na qualidade de país parceiro, na edição da feira internacional Hannover Messe de 2022", afirma o executivo no diploma.

 

No documento, o Governo considera que a feira, criada em 1947, "aspira a ser, em cada ano, o evento charneira para 'networking' e novos negócios" e que proporciona "uma excelente ocasião para explorar sinergias científicas e tecnológicas com fito comercial, enquanto aporta valor ao prestígio e credibilidade" dos países participantes.

 

Ainda no despacho, o ministro adiantou que a participação vai implicar uma "ampla mobilização" do tecido empresarial nacional, nomeadamente dos 'clusters de excelência', nas áreas dos equipamentos e da metalomecânica, da mobilidade, do automóvel e do setor aeronáutico, dos têxteis e plásticos técnicos, dos moldes e das energias renováveis, e vai obrigar a uma presença com elevada componente tecnológica e científica.

 

A Hannover Messe recebe anualmente cerca de 200 mil visitantes, ao longo de cinco dias, num só espaço de 200 mil metros quadrados com expositores de bens, equipamento e serviços das áreas da indústria transformadora, originários de todo o mundo, mas a realização nesse formato estará dependente da evolução da pandemia.

Partilhar