NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Farfetch anunciou um conjunto de metas de sustentabilidade para os próximos 10 anos como parte da sua estratégia “Positively Farfetch”. Os objectivos visam aumentar a eficiência e a diversidade do negócio, ao mesmo tempo que alargam a oferta para o cliente e disponibilizam recursos para apoiar as boutiques, lojas departamento e marcas presentes na plataforma nos seus próprios esforços de sustentabilidade.

O lançamento das metas até 2030 foi acelerado pelo rápido crescimento das vendas de luxo online durante a pandemia e baseia-se na estratégia “Positively Farfetch” e na série de iniciativas desse programa, como a “Climate Conscious Delivery”, que arrancou durante o confinamento para compensar o impacto das emissões de carbono provocado pelas entregas e devoluções.

 

As metas a 10 anos concentram-se em quatro objectivos principais:

 

1. Reduzir para zero a pegada de carbono da empresa, através da centralização do fornecimento de artigos, uso mais eficiente de embalagens, e o aumento do recurso a energia renovável;

 

2. Promover produtos que sejam independentemente reconhecidos ou certificados como sendo “conscientemente” melhores para as pessoas, o planeta ou os animais;

 

3. Permitir que os clientes estendam a vida útil das suas roupas e reduzam o desperdício através de modelos de negócio que incluam revenda, doações, reparações, artigos feitos por encomenda ou em segunda mão. Até 2030, o objectivo é vender mais bens circulares e de baixo desperdício, do que vender de formas lineares ou tradicionais;

 

4. Incorporar uma abordagem anti-discriminatória e conscientemente inclusiva na cultura da Farfetch, procurando alcançar diversidade dentro da organização e na forma como ela representa a indústria.

 

«Como plataforma para a indústria de luxo, estamos numa posição única para permitir mudanças positivas de muitas maneiras diferentes. Foi por isso que demos à nossa estratégia de negócios sustentável o nome ‘Positively Farfetch’ – porque queremos ser, não apenas uma plataforma qualquer, mas a plataforma para o bem no luxo, que permite e capacita todos com quem trabalhamos a pensar, agir e escolher positivamente. Um programa ambiental e social credível, com objetivos claros de longo prazo, é importante para todos os nossos stakeholders. Para os investidores, para os parceiros de negócios, e para os clientes que querem ver-nos a agir, assim como os próprios colaboradores», referiu José Neves, fundador, CEO e chairman da Farfetch.

 

Como parte dos esforços contínuos de boas práticas empresariais da Farfetch e refletindo o compromisso com a sustentabilidade e responsabilidade corporativa, o Conselho de Administração aprovou recentemente a formação de um Comité ESG (Environmental, Social and Governance). O Comité, que inclui o CEO e chairman José Neves, supervisionará a implementação das metas para a próxima década.

Partilhar