NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A EDP prevê realizar 80% do investimento previsto até 2025 na Europa e na América do Norte, em partes iguais, invertendo a primazia que deu aos EUA nos últimos anos, e reduz no Brasil, segundo o plano estratégico.

De acordo com o plano estratégico 2021-25, a EDP vai investir 24.000 milhões de euros na transição energética, dos quais 80% em energias renováveis - tecnologias eólica, solar, hidrogénio verde e armazenamento de energia - o que vai permitir que, em 2030, 100% da eletricidade produzida seja a partir de fontes renováveis.

 

Segundo o plano hoje apresentado aos analistas pelo presidente executivo, Miguel Stilwell d`Andrade, por geografias, 80% do investimento será na Europa (40%) e na América do Norte (40%), 15% no Brasil e na América Latina e os outros 5% no "resto do mundo".

 

No anterior plano estratégico, apresentado em março de 2019, os EUA eram o destino de 40% do investimento da energética, seguidos pela Europa (35%) e Brasil (25%), mercado em que a EDP pretende desacelerar os investimentos nos próximos anos.

 

A EDP quer ter mais 50 gigawatt (GW) em energia limpa até 2030, passando de uma produção renovável atual de 74% para 100% em 2030, de acordo com o plano estratégico para 2021-25 divulgado hoje.

 

"A empresa pretende abandonar a produção a carvão até 2025 e ser totalmente verde até 2030, antecipando em 20 anos as suas metas de ser neutra em carbono", anunciou hoje a elétrica liderada por Miguel Stilwell d`Andrade.

 

A anterior meta, definida em março de 2019, previa mais de 90% de produção renovável em 2030.

 

Em 2020, 74% da produção da EDP foi a partir de fontes renováveis, antecipando em dois anos o objetivo definido para 2022.

Partilhar