NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Depois do Minho e Aveiro, o grupo alemão alia-se à Universidade do Porto num projeto de inovação na área da mobilidade inteligente, que prevê integrar 55 pessoas na Bosch e mais de 70 investigadores.

A Bosch vai avançar com um projeto de inovação com a Universidade do Porto que visa o desenvolvimento de “soluções para melhorar as capacidades sensoriais dos veículos autónomos, através de algoritmos de perceção baseados nos dados recolhidos pelos seus sensores”.

 

Esta iniciativa conjunta de inovação na área da mobilidade inteligente representa um investimento superior a 28 milhões de euros. O designado projeto THEIA – Automated Perception Driving prevê a integração de cerca de 55 novos colaboradores da Bosch e mais de 70 investigadores na Universidade do Porto.

 

O contrato de investimento vai ser assinado esta terça-feira entre a Universidade do Porto, a Bosch Portugal e a AICEP, numa cerimónia que conta com a participação do primeiro-ministro, António Costa, e dos secretários de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Sobrinho Teixeira, e da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.

 

“Entre outros pontos, este projeto de inovação vai contribuir para que sejam garantidas as condições de segurança necessárias para a utilização dos veículos autónomos. A ideia é que estes sejam capazes de prever e inclusive ‘escolher’ cenários face ao obstáculo ou problema identificado, graças às melhorias dos sensores integrados”, realça a Universidade do Porto.

 

Entre Braga e Aveiro

 

Este é apenas o mais recente projeto de inovação desenvolvido pela Bosch Portugal, liderada por Carlos Ribas, em colaboração com instituições de Ensino Superior no país. A mais antiga e também relevante tem sido desenvolvida em Braga, envolvendo a Bosch Car Multimedia e a Universidade do Minho, ultrapassando 165 milhões de euros de investimento.

 

Iniciada em 2013, a aliança minhota da Bosch já resultou no registo de mais de 70 patentes nos domínios da mobilidade do futuro e da transformação digital da indústria. No mês passado foi assinalado o encerramento da terceira fase desse projeto, focada igualmente na condução autónoma e na digitalização industrial e que envolveu 750 quadros da Bosch e da Universidade do Minho.

 

Já em Aveiro, onde está instalada a unidade industrial da Bosch Termotecnologia, a mais recente colaboração, anunciada em abril deste ano, diz respeito ao projeto Augmanity, para a implementação do 5G na indústria portuguesa. O valor desse investimento em investigação e desenvolvimento (I&D), em execução com a Universidade de Aveiro, ascende a 8,5 milhões de euros, até julho de 2023.

Partilhar