NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Este valor faz com que sejam recuperados níveis de produtividade acima da média dos últimos cinco anos.

A produção de pera deverá registar um aumento de 40% em 2021, recuperando para níveis de produtividade acima da média dos últimos cinco anos, segundo as previsões agrícolas divulgadas pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) esta quarta-feira, 18 de agosto.

 

Outro dos dados que constam destas previsões relacionados com a fruta vai para o aumento na produção de maçã (+15%).

 

Por sua vez, a produção de arroz deverá ficar-se pelos 5,4 hectares, valor 4% abaixo do registado nos últimos cinco anos, mas 5% acima do alcançado em 2020, ano que registou a segunda produtividade mais baixa dos últimos 30 anos.

 

A área instalada de sementeiras no mês de julho foi 10% superior à registada na última campanha, com a retoma da exploração dos três mil hectares de canteiros que “não tinham sido cultivados em 2020 devido às obras de requalificação no aproveitamento hidroagrícola do Vale do Sado”, indica o INE.

 

Está também previsto uma subida de 20% no rendimento unitário dos pêssegos, enquanto na amêndoa a produtividade também deverá aumentar em 20%, para mais de 0,7 toneladas por hectare, sendo este o nível mais elevado dos últimos 20 anos.

 

Nas vinhas, estima-se uma produtividade na uva para vinho semelhante à alcançada na vindima anterior e um aumento de 5% na uva de mesa.

 

Nos cereais de inverno são esperadas reduções de produção de 15% no trigo duro, triticale e aveia, de 10% no trigo mole e cevada e de 5% no centeio devido aos reduzidos teores de humidade do solo na fase de enchimento do grão.

Partilhar