NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As redes sociais têm várias funcionalidades, servem para conversar, partilhar momentos do dia-a-dia, conhecer novos locais e, até, fazer compras. E aqui reside uma das principais tendências: as compras online realizadas através de redes sociais (Social Commerce) deverão crescer a um ritmo anual de 31,4% até 2027.

A previsão é apontada no Global Consumer Survey Report da Astound Commerce, segundo o qual o valor das compras efectuadas por este canal chegará aos 500 mil milhões de euros, em todo o Mundo, no prazo de seis anos. O estudo tem por base as repostas de consumidores da América do Norte, Europa e Médio Oriente.

 

«As redes sociais converteram-se na montra inevitável para continuar ligado aos consumidores nos meses de confinamento. Em 2020, [os consumidores] estiveram ligados uma média diária de duas horas e 23 minutos só nas redes sociais, o que representa mais de um terço do total de tempo na Internet», sublinha Daniel Carnerero, responsável pela Astound para Espanha e Portugal.

 

Citado pela agência Europa Press, indica que as redes sociais eram vistas, tradicionalmente, como uma forma de descobrir novos produtos, mas a convergência de conteúdos e comércio fez com que estas plataformas passassem a ser também um canal essencial – e com perspectivas de crescimento – para as compras.

 

O estudo revela que quase 25% dos consumidores, a nível global, afirma que pretende fazer compras via redes sociais com mais frequência na próxima época festiva (Natal) face a 2020. Esta poderá ser uma consequência do crescimento do comércio electrónico no seu todo, já que 61% dos inquiridos compra alguma coisa online pelo menos uma vez por semana. Os britânicos destacam-se (74%).

 

Neste momento, o Facebook é a principal rede social para a realização de compras online e a Astound considera que a tendência será para manter. Por outro lado, o Google é o canal mais utilizado para descobrir ou procurar produtos online.

Partilhar