NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No mês de março, Lisboa perdeu 29% da faturação (4,7 milhões) e o Porto 15% (800 mil euros). Em temos homólogos, estas duas cidades perderam 5,5 milhões de euros. Cenário que pode piorar em abril.

O Covid-19 está a causar profundas quebras no arrendamento de curta duração. Só no mês de março, Lisboa perdeu 29% da faturação (4,7 milhões) e o Porto perdeu 15% (800 mil euros). Nestas duas cidades, que são os destinos nacionais mais representados no Airbnb, a perda foi de 5,5 milhões em termos homólogos, avançou o Público (acesso condicionado).

 

Depois dos fortes crescimentos registados em janeiro e fevereiro, em março assistiu-se a uma forte quebra na procura — oferta de imóveis permaneceu quase inalterada — em resultado das restrições à circulação de pessoas para evitar a propagação do Covid-19.

 

De acordo com os dados da Airdna, empresa de análise de dados para o mercado mundial de arrendamento turístico em plataformas online, o mês de abril tem tendência a ser pior, uma vez que no segundo dia do mês, já era certa uma quebra de 61% em Lisboa e 48% no Porto, quando comparado com o ano passado.

Partilhar