NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

No final de 2020, o sector telco contava com 136 empresas autorizadas pela Anacom a operar em Portugal. Já o sector postal registava 89 empresas. O regulador diz que há uma “tendência de subida” no sector das comunicações eletrónicas e uma “tendência de estabilidade” no sector postal.

O mercado nacional das comunicações está a atrair cada vez mais operadores para Portugal, de acordo com a Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom). No final de 2020, estavam registadas 225 empresas, entre os sectores das telecomunicações e o sector postal, foi esta segunda-feira anunciado.

 

No último ano, o organismo liderado por João Cadete de Matos inscreveu 16 novas empresas de telecomunicações e cinco novos operadores postais. “Este número de inscrições no mercado das comunicações em 2020 permite confirmar uma tendência de subida no sector das comunicações eletrónicas e  (16 novas inscrições), quando comparado com os números verificados em anos anteriores (12 em 2019, 9 em 2018, 8 em 2017 e 6 em 2016), e uma tendência de estabilidade no sector dos serviços postais (5 em 2020, 5 em 2019, 6 em 2018, 7 em 2017 e 6 em 2016)”, lê-se na nota enviada à redação.

 

No sector das telecomunicações, a 31 de dezembro de 2020, estavam inscritas 136 empresas, mais 8,8% do que em 2019.

 

Os operadores têm procurado o mercado nacional principalmente para operar na venda de internet fixa e serviços de voz fixa e móvel, “sobretudo relativamente a ofertas dirigidas ao segmento não residencial.

 

No sector postal, por sua fez, registava 89 empresas, mais 2,3% do que em 2019. Segundo o regulador mantém-se “a tendência de um maior número de inscrições no mercado do serviço postal de correio expresso, sobretudo relativas a mudanças de parceiros na composição das redes postais de franquia”.

Partilhar