NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Portugal Ventures investiu quatrocentos mil euros de euros em startups da comunidade da Startup Braga, o hub de inovação da InvestBraga, foi hoje divulgado.

Ablute, BestHealth4U, Rubynanomed e We Can Charge integram assim o portefólio de mais de 130 startups de uma das sociedades de capital de risco de referência do ecossistema de inovação português.

 

Em comunicado, a InvestBraga revela que as startups Ablute, BestHealth4U, Rubynanomed e We Can Charge fazem parte do leque de 40 empresas que receberam apoio da Portugal Ventures, no âmbito do programa de investimentos INNOV-ID.

 

Esta é “uma iniciativa que visa dinamizar e promover o acesso ao financiamento de capital de risco a projetos de âmbito científico e tecnológico na fase inicial das startups”, pode ler-se na nota.

 

Ricardo Rio, presidente da Câmara de Braga e da InvestBraga, olha para estes investimentos como uma “confirmação da importância de Braga como player de referência no ecossistema empreendedor nacional, ligado a áreas tão importantes como a economia digital e a saúde”.

 

Já Carlos Silva, administrador executivo da InvestBraga, salienta que “a Startup Braga ter sido um dos parceiros da Portugal Ventures com mais projetos selecionados para a fase final do processo de investimento ao abrigo do programa INNOV-ID”.

 

Satisfeito pelo reconhecimento da importância destes investimentos, Luís Rodrigues, diretor da Startup Braga, destaca que o hub de inovação deu apoio a “nove candidaturas, tendo sido selecionadas seis para a fase de apresentação de projeto ao conselho de administração da Portugal Ventures e quatro conseguido fechar o investimento”.

 

O responsável pela unidade de apoio ao empreendedorismo da InvestBraga reforça ainda que “estes investimentos serão importantes para as startups, que estão a viver um período cheio de desafios, mas também para a comunidade, que vê assim reconhecido o valor que tem vindo a criar para a sociedade”.

 

Promotores veem nestes investimentos uma oportunidade para escalar os seus negócios

 

Para Ricardo Carvalho, promotor do projeto We Can Charge, o investimento será “importante para alavancar o negócio de carregamento de veículos elétricos, permitindo a consolidação da tecnologia e a internacionalização do projeto como startup”.

 

Por sua vez, Nuno Marujo, da Ablute, considera que “o investimento veio reforçar o desenvolvimento do produto sanitário e permitir um importante impulso da investigação quanto ao componente médico”.

 

Já o investimento na BestHealth4U “teve dupla vantagem para os desenvolvimentos da mesma pois a empresa passou a fazer parte de um ecossistema onde o negócio tem forte apoio, assim como os empreendedores, mas também potenciou os seus desenvolvimentos internos, consolidando a sua posição no desenvolvimento de produtos disruptivos para a área da saúde, dos quais teremos novidades muito em breve”, garante Sónia Ferreira, responsável pela startup ligada às tecnologias da saúde.

 

Também Lorena Diéguez, investigadora do INL e CEO da RUBYnanomed, congratula-se com o feito, sublinhando que “este investimento da Portugal Ventures, conjugado com a entrada oficial da Caixa Capital Risc e do INL, será importante para conseguir a maturidade do nosso produto, contribuindo para produção em massa do nosso protótipo ao abrigo das normas ISO para dispositivos médicos”.

 

“A aprovação da nossa tecnologia como sistema de diagnóstico in vitro e a sua entrada no mercado clínico irá permitir a deteção atempada das metástases e o seu tratamento personalizado, através do uso da biópsia líquida para a monitorização regular e não invasiva dos pacientes de cancro”, acrescenta ainda a responsável.

Partilhar