NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Produtividade dos colaboradores manteve-se estável e taxa de absentismo sofreu ainda uma redução na ordem dos 50% em comparação com o ano anterior à adoção do modelo.

Passou um ano desde que a 360imprimir decidiu adotar a semana de quatro dias de trabalho, tornando-se a primeira empresa nacional a aplicar este modelo. Os impactos fizeram-se sentir ao nível da atração e retenção de talento, com um número de candidaturas recebidas pela organização oito vezes superior ao do ano anterior e a taxa anual de rotatividade a recuar em 43%, num panorama em que a luta por talento é um dos principais desafios do mercado de trabalho.

 

A avaliação global dos colaboradores também é positiva, com uma taxa de 90% de satisfação com o modelo de quatro dias de trabalho, e com 78% dos trabalhadores a afirmarem necessitar de um aumento salarial de pelo menos 30% para considerarem regressar à jornada de cinco dias de trabalho.

 

Para introduzir o barómetro do primeiro ano de implementação do projeto-piloto, Sérgio Vieira, CEO da 360imprimir, realça a satisfação por ver o "forte impacto positivo" da semana de quatro dias na vida pessoal dos colaboradores, nomeadamente ao nível do equilíbrio entre vida pessoal e profissional e nos hábitos de saúde e bem-estar. "Os resultados sugerem que o negócio está a crescer", acrescenta, referindo que as equipas têm sido capazes de adaptar a forma como trabalham.

 

De facto, os colaboradores referem um impacto positivo na esfera pessoal, designadamente nos níveis de stress, fadiga e ansiedade a descerem 21% e o equilíbrio com a vida familiar permitiu passar mais tempo com entes queridos e amigos, segundo afirmaram 89% dos trabalhadores. Globalmente, 98% dos colaboradores indicaram ter um bom equilíbrio entre vida pessoal e profissional devido ao novo modelo de trabalho.

 

A empresa avaliou também os impactos ao nível da poupança ambiental e de tempo despendido em deslocações. Cerca de uma hora e sete minutos foi o tempo médio poupado pelos colaboradores em idas diárias para o escritório, o que equivale também a uma redução de emissões de CO2 de aproximadamente 733 quilos por dia.

 

Produtividade não foi problema

A produtividade, ou falta dela, foi sempre uma das principais preocupações quando se pensava a aplicação da semana de quatro dias de trabalho. Contudo, não se revelou um problema na 360imprimir que, aliás, manteve a produtividade por hora estável. Na realidade, a esmagadora maioria das chefias (80%) consideram que as equipas são tão produtivas como antes.

A assiduidade foi outra vertente impactada, com a taxa de absentismo a sofrer uma redução na ordem dos 50% em comparação com o ano anterior à adoção do modelo. A redução do número de faltas era uma expectativa necessária para garantir o bom funcionamento da semana de quatro dias, pelo que a empresa considerou "crucial" este indicador.

 

Para Sofia Patrão Alves, head de recursos humanos da 360imprimir, a redução das horas trabalhadas não só não impactou a produtividade, como foi "mais do que compensada pelo elevado impacto na atração e retenção de talento". Face aos resultados do primeiro ano, a organização revela-se "bastante satisfeita" com a decisão tomada, acrescentou.

 

Em Dinheiro Vivo

Partilhar