NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Escola de programação portuguesa vai abrir campus físicos em Cabo Verde e no Brasil e ensinar programação a mais de um milhão de crianças.

2020 vai ser o ano em que a Academia de Código vai ensinar programação em 30 países. A escola portuguesa, para cumprir esse objetivo, vai contratar mais de 30 pessoas ao longo dos próximos 12 meses e pretende mais do que duplicar as vendas.

O crescimento vai ocorrer no ensino de programação para crianças e adultos.

 

O maior crescimento vai ocorrer na plataforma virtual UBBU: ao longo deste ano, vai entrar em mais 20 países para ensinar programação a mais de um milhão de crianças entre os 6 e os 12 anos. Até agora, esta plataforma já está presente em 10 países: Arábia Saudita, Argentina, Brasil, Cabo Verde, Colômbia, Egito, Espanha, Estados Unidos, Macau e Noruega.

 

Na própria Academia de Código, 2020 vai marcar o início dos bootcamps fora da Europa: vão ser abertas as escolas em Cabo Verde e no Brasil, que vão juntar-se aos cursos nas cidades de Lisboa, Fundão, Ilha Terceira, Porto, Aveiro e Utrecht, na Holanda; e à pós-graduação da Academia de Código no ISCTE.

 

Com o curso para adultos, a startup portuguesa pretende “capacitar mais de 750 pessoas para entrar no mercado de trabalho enquanto programadores, com salários médios altos e, assim, combater o desemprego e a falta de programadores no mundo”, refere a Academia de Código em nota enviada ao Dinheiro Vivo. O

 

 primeiro projeto-piloto da Academia de Código aconteceu em 2015, para licenciados que estavam desempregados e com menos de 30 anos.

Partilhar