NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A olaria negra de Bisalhães e a gastronomia regional estão em destaque no pavilhão de Portugal da Expo Dubai, entre hoje e sábado, para valorizar e promover a louça de Vila Real classificada pela UNESCO.

A participação na Expo Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, resulta de uma iniciativa conjunta entre o Turismo do Porto e Norte de Portugal (TPNP), o município de Vila Real e a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) Portugal Global.

 

"Lutamos muito para preservar e divulgar o nosso património cultural, designadamente o barro de Bisalhães. A Expo 2020 Dubai é uma montra mundial, que terá milhões de visitantes, que descobrirão Portugal, o Norte, Vila Real, Bisalhães e as maravilhas que lá se encontram", afirmou o presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, citado num comunicado divulgado hoje.

 

Por sua vez, Luís Pedro Martins, presidente do TPNP, salientou que tudo foi feito "para não perder esta oportunidade de promover a região e os seus ativos neste grande evento, seguramente o maior de 2021 e um dos mais importantes a nível mundial, o primeiro desta dimensão a realizar-se no período pós pandemia".

 

A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) inscreveu a 29 de novembro de 2016 o processo de fabrico do barro preto de Bisalhães na lista do Património Cultural Imaterial que necessita de salvaguarda urgente.

 

Este é considerado um ofício duro, exigente, com recurso a processos que remontam, pelo menos, ao século XVI. O processo de fabrico inclui desde o tratamento inicial que se dá ao barro até à cozedura.

 

As peças que nascem pelas mãos dos artesãos são depois cozidas em velhinhos fornos abertos na terra, onde são queimadas giestas, caruma, carquejas e abafadas depois com terra escura, a mesma que lhe vai dar a cor negra.

 

E foi este processo de fabrico que foi classificado pela UNESCO.

 

Ao levar esta tradição à Expo Dubai 2020 pretende-se "promover a valorização do território onde é criada e vendida a louça preta de Bisalhães, fomentando a visibilidade de um ativo diferenciador e identitário, não apenas daquele território, mas também do país, procurando, sempre, assegurar a sua continuidade, no tempo".

 

Em simultâneo, pretende-se divulgar a gastronomia regional, que será confecionada pelo 'chef' Vítor Matos, galardoado com uma estrela Michelin.

 

As experiências gastronómicas de polvo, grão de bico, cabrito e leite creme com azeite, baunilha e maracujá são confecionadas em barro preto de Bisalhães e estão disponíveis no restaurante do pavilhão de Portugal, o "Al Lusitano", cuja concessão foi atribuída ao 'chef' Chakall.

 

Depois, com o objetivo de formar novos públicos, é também disponibilizado um livro em formato digital com o título "TRAZ, ZAS, TAZ! Vamos ver como o Oleiro faz!", que explica as origens da louça preta de Bisalhães e está traduzido em inglês e em árabe.

 

"Na Expo 2020 Dubai pretendemos mostrar o que de melhor temos no nosso país. A louça preta de Bisalhães é um dos símbolos da portugalidade, que alia tradição a inovação, e que promove a imagem de um Portugal que surpreende com talento e diversidade", afirmou, no mesmo comunicado, Francisca Guedes de Oliveira, vice-comissária de Portugal para a Expo 2020 Dubai.

 

A Expo 2020 Dubai conta com a participação de 192 países e é a primeira a decorrer no Médio Oriente entre 01 de outubro e 31 de março.

Partilhar