NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Grupo criado em 1980, por Johannes Tryba, especializado em design, produção e instalação de janelas, portas de entrada e persianas e com presença industrial em França, Alemanha e Suíça, irá no espaço de um ano, criar uma segunda unidade industrial em Portugal, em parceria com os Grupos AT Partner e Caixiave.

O primeiro investimento concretizado em Portugal através de uma joint-Venture estabelecida com a empresa Portuguesa Caixiave, em Vila Nova de a Famalicão, em 2020, com o início de produção previsto para 2023, teve um investimento total de 49 M de Euros e irá criar mais de 100 postos de trabalho diretos, sendo que grande parte da sua produção se destina a mercados externos.

 

O segundo investimento, resultado do forte aumento da procura de soluções inteligentes e ecológicas no que diz respeito ao consumo de energia, e que gerou uma forte procura por janelas eficientes que se tem verificado em toda a Europa nos últimos anos, o grupo francês decidiu também avançar, em 2021, com um outro projeto de investimento, desta vez no concelho de Lousada, numa fábrica orientada para a produção de janelas e portas de elevada performance em madeira e madeira/alumínio.

 

Tal como a produção da fábrica de Vila Nova de Famalicão, a produção desta segunda fábrica destina-se maioritariamente para exportação e prevê criar cerca de 80 postos de trabalho diretos e terá um investimento total na ordem dos 33 M de Euros.

 

Segundo o representante do grupo, as razões para selecionarem Portugal de uma forma geral, e em particular os concelhos de Vila Nova de Famalicão e Lousada, para o estabelecimento destas duas unidades industriais prendem-se com a disponibilidade de recursos humanos qualificados neste setor e as condições de acessibilidade.

 

“É com grande satisfação que vejo que o Grupo Atrya selecionou novamente Portugal para concretizar, no espaço de um ano, um segundo investimento, também em parceria com a empresa portuguesa Caixiave, através do estabelecimento de uma segunda unidade industrial, desta vez em Lousada.  Sabendo que esta será uma das unidades mais avançadas da Europa do ponto de vista tecnológico, para produção e maioritariamente para exportação de janelas eficientes de madeira e madeira/alumínio utilizando materiais nobres e eco sustentáveis como é o caso da madeira – muito nos orgulha, na AICEP, termos acompanhado mais este investimento estruturante para o sector e para a economia nacional”, refere o Presidente da AICEP, Luís Castro Henriques.

 

Ambos os investimentos acompanhados pela AICEP, usufruíram de apoios financeiros obtidos através de candidatura ao Portugal 2020 bem como de benefícios fiscais e no prazo de cinco anos, o grupo espera alcançar com estas duas unidades industriais, o valor anual de vendas de 80 milhões de euros.

Partilhar