NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O director-geral da IATA, Willie Walsh, considera “decepcionante” que a União Europeia tenha voltado a recomendar restrições a viagens não essenciais desde os Estados Unidos, defendendo que, “no mínimo”, quem tem a vacinação completa contra a covid-19 deve ter liberdade para viajar sem restrições.

Se os governos estão "acertadamente a apelar para que as suas populações sejam vacinadas, [então] os governos precisam de estar confiantes dos benefícios que as vacinas oferecem – incluindo a liberdade de viajar”, afirmou o director da IATA, que representa 290 companhias de aviação de todo o mundo.

 

Willie Walsh defende que, “no mínimo, aqueles que estão totalmente vacinados devem ter liberdade para viajar sem restrições”.

 

A recomendação da UE de voltar a recomendar restrições a viagens não essenciais desde os EUA é “um desenvolvimento decepcionante para as empresas e as pessoas que dependem das viagens”, acrescentou o ex-CEO do IAG, segundo maior grupo de companhias de aviação de rede europeias.

Partilhar