NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Confirmando os dados do INE, o Informa D&B sustenta que as atividades que sofreram os maiores impactos foram o alojamento, restauração, serviços gerais e transportes, apresentando recuos face a 2020.

Entre janeiro e abril de 2021 foram constituídas 13.866 novas empresas em Portugal, um crescimento de 4,3% em comparação com o mesmo período do ano passado quando o país se encontrava a passar pela primeira vaga de Covid-19.

De acordo com o barómetro Informa D&B, verificou-se uma média de 3.466 novas empresas nos meses em análise apesar do confinamento que se observou nos primeiros três meses do ano. Ainda assim, o barómetro indica que a recuperação do empreendedorismo está a ser realizado a diferentes velocidades nas regiões do país e nos diferentes sectores de atividade.

 

Confirmando os dados do INE, o Informa D&B sustenta que as atividades que sofreram os maiores impactos foram o alojamento, restauração, serviços gerais e transportes, apresentando recuos face a 2020. Assim, os transportes apresentaram a maior queda, com menos 50% de empresas a atuar.

 

No entanto, os sectores do retalho, agricultura e outros recursos naturais, tecnologias de informação e comunicação e atividades imobiliárias verificaram valores mais expressivos na criação de novas empresas em comparação ao período homólogo. O retalho destacou-se no sector online com um crescimento de 39%, um valor correspondente a 1.970 novas empresas criadas em 2021.

 

Um dos pontos positivos verificados pelo barómetro foi a quebra de insolvências e de encerramentos. Nos primeiros quatro meses do ano encerraram 3.976 empresas, menos 2,6% que no período homólogo, e 780 empresas abriram processo de insolvência, verificando-se um recuo de 3,1% em relação ao mesmo período do ano passado.

 

O Informa D&B sustenta que apenas os sectores da construção, grossistas de têxtil e moda e os serviços empresariais, nomeadamente atividades de consultoria para negócios e gestão apresentaram um crescimento nos encerramentos, com 13,7%, 13,1% e 5%, respetivamente. Por sua vez, o alojamento e restauração foi o único sector a registar uma subida de 59% nos processos de insolvência.

 

Em termos de regiões, a Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve registaram recuos de 7% e 6%, pela mesma ordem em termos de nascimento de empresas. Os dados mostram que nasceram 4.845 empresas no Norte e 4.640 empresas na Área Metropolitana de Lisboa.

Partilhar