NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Registado aumento de 0,2% em julho face a 2019. Quase 50 empresas estão em Paris para participar em feira.

Quase meia centena de empresas da indústria têxtil estão, entre hoje e quinta-feira, em Paris para participar na Première Vision, uma das feiras de referência do setor que conta com a presença das "melhores empresas de todo o Mundo".

 

Conquistar novos clientes e dar a conhecer as novas tendências são dois dos principais objetivos, numa altura em que as exportações começam a recuperar os níveis pré-pandemia.


De acordo com Mário Jorge Machado, presidente da Associação Têxtil eVestuário de Portugal (ATP), até julho deste ano, as ex
portações globais do setor cresceram 0,2% face a 2019. Segundo a ATP, o valor acumulado para os primeiros sete meses destes ano ascende a 3,191 mil milhões.


"Tivemos quebras elevadas com a pandemia. No ano passado, o setor acabou com uma quebra das exportações na ordem dos 12%", recordou Mário Jorge Machado, frisando que, olhando para os sub- setores, "há grandes assimetrias".


O subsetor que mais tem crescido é o têxtil-lar. Em contrapartida, aquele que menos recuperou da pandemia é o vestuário em tecido que, no primeiro semestre deste ano, registou uma quebra de 13% face a 2019. "As pessoas, como ficaram mais em casa, compraram menos fatos, camisas, saias, casacos", explicou.


O certame contará amanhã com a presença do secretário de Estado da Economia, João Correia Neves. A fechar, na quinta-feira, visitará a feira o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.


O evento decorre, ainda, em formato online e contará com mais de 900 expositores, com destaque para novidades nas áreas dos tecidos e malhas.

Partilhar