NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A impulsionar este crescimento estão a inauguração das unidades hospitalares do Hospital Cuf Tejo, Sintra e Torres Vedras.

No primeiro semestre de 2021, o grupo Cuf registou lucros na ordem dos 9,2 milhões de euros, traduzindo-se num aumento de 29,2 milhões de euros face ao período homólogo — altura em que registava prejuízos de 20 milhões de euros.

 

Já o EBITDA, ou os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização consolidado, cresceu expressivamente para 43,4 milhões de euros, representando um aumento de 322,4% face a 2020 e situando-se apenas 6,1% abaixo do valor obtido em 2019, “apesar dos impactos da pandemia no primeiro trimestre do ano”, lê-se no comunicado divulgado, esta segunda-feira, pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).

 

O grupo hospitalar informa que entre o primeiro e segundo trimestre do ano, “assistiu-se a uma evolução positiva dos rendimentos operacionais” tendo registado um crescimento de 10,8%. De acordo com as contas semestrais do grupo, isto é aconteceu graças à aberturas das novas unidas hospitalares em Lisboa, nomeadamente, ” do Hospital Cuf Tejo, um dos maiores e mais inovadores projetos do setor privado da saúde na atualidade, e das novas áreas hospitalares dos Hospitais Cuf Sintra e Cuf Torres Vedras, unidades de saúde de referência nos concelhos onde se inserem, que aumentaram recentemente a sua capacidade de resposta às populações”.

 

Relativamente à atividade operacional, a Cuf registou um aumento “superior a 40% nas consultas e cirugias” e de 20,5% “nos dias de internamento”, isto face ao mesmo período de 2020. Já comparativamente a 2019, “observou-se uma evolução positiva em todos os indicadores, à exceção dos serviços de urgência, demonstrando o crescimento sólido da atividade assistencial”, indicam.

 

A Cuf destaca ainda o aumento na ordem dos 14% nas consultas e cirurgias entre o segundo e o primeiro trimestre de 2021.

Partilhar