NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Em novembro de 2021, as exportações de bens registaram um aumento de 15,7 por cento em termos homólogos e de 7,3 por cento face a outubro de 2021, atingindo os 6.010 milhões de euros, em valor absoluto, o montante mensal mais elevado de sempre.

Já as importações sofreram um aumento de 32,3 por cento em termos homólogos e de 6,6 por cento em cadeia, registando 8.107 milhões de euros, em valor absoluto, também um novo máximo mensal.

 

O défice da balança comercial de bens foi de 2.097 milhões de euros em novembro de 2021, aumentando 1.162 milhões de euros em relação ao mesmo período de 2020 e 98 milhões de euros comparativamente a outubro de 2021.

 

Entre janeiro e novembro de 2021, as exportações de bens ascenderam a 58.218 mil milhões de euros, contra 49.502 mil milhões de euros em igual período de 2020, ou seja, um aumento de 17,6 por cento. Comparativamente a 2019, as exportações cresceram 5,2 por cento.

 

No mesmo período, as importações totalizaram 74.601 mil milhões de euros e cresceram 19,5 por cento. Face ao mesmo período de 2019, as importações aumentaram 0,9 por cento.

 

Por grupos de produtos, as Máquinas e Aparelhos constituíram a principal exportação, com uma quota de 14,4 por cento do total, seguindo-se os Veículos e Outro Material de Transporte (13,3 por cento).

 

De destacar que as exportações de Metais Comuns aumentaram 41 por cento, representando 1.530 milhões de euros, as exportações de Máquinas e Aparelhos aumentaram 16,2 por cento, representando 1.166 milhões de euros, e as exportações de Combustíveis Minerais registaram um aumento de 50,1 por cento, o que representa 1.112 milhões de euros.  

 

Nas importações por grupos de produtos, é de destacar o aumento das importações de Combustíveis Minerais em 58 por cento, representando 3.154 milhões de euros; de Metais Comuns em 45 por cento, representando 2.167 milhões de euros; de Máquinas e Aparelhos em 13,9 por cento, representando 1.668 milhões de euros; de Químicos em 18,6 por cento, representando 1.424 milhões de euros; e de Plásticos e Borracha em 29,7 por cento, representando 1.135 milhões de euros.

Espanha foi o principal destino das exportações portuguesas de bens, com uma quota de 26,5 por cento no total, seguindo-se França (13,2 por cento) e Alemanha (11,1 por cento).

 

As exportações extracomunitárias aumentaram 18,7 por cento em termos homólogos, representando um peso de 28,6 por cento.

 

Os EUA e o Reino Unido, com quotas de 5,6 por cento e 5,2 por cento, respetivamente, foram os principais clientes extracomunitários e o quarto e quinto em termos globais.

 

Fonte: INE

Partilhar