NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A taxa de ocupação por quarto no quinto mês do ano foi 2,8 pp (pontos percentuais) acima da verificada no mesmo mês de 2019 (Último ano antes da pandemia de covid-19) e 5,1 pp acima da de 2022.

A hotelaria no Algarve registou uma taxa global de ocupação média de 72,7% em maio, a maior taxa nesse mês dos últimos 22 anos, anunciou esta sexta-feira a maior associação hoteleira da região sul do país.

 

De acordo com os dados provisórios avançados hoje pela Associação dos Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA), o Algarve superou, em maio, os valores registados neste mês para a taxa de ocupação por quarto desde 2001, ano em que tinha alcançado os 70,7%.

 

A taxa de ocupação por quarto no quinto mês do ano foi 2,8 pp (pontos percentuais) acima da verificada no mesmo mês de 2019 (Último ano antes da pandemia de covid-19) e 5,1 pp acima da de 2022.

 

Segundo o resumo mensal da evolução da hotelaria elaborado pela AHETA, face ao mesmo mês de 2019, os mercados que mais contribuíram para a subida registada foram o irlandês com +2,6 pp e o norte-americano com +0,7 pp.

 

O mercado alemão, com -1,3 pp, e o nacional, com -1,0 pp, foram os que mais contrariaram a subida verificada, ainda em comparação com maio de 2019.

 

Por zonas geográficas, as maiores subidas face a 2019 ocorreram nas zonas de Tavira (+8,7 pp) e Lagos/Sagres (+2,4 pp).

Albufeira, a principal zona turística do Algarve, registou uma descida de -2,4 pp (-3,1%).

Partilhar