NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

António Martins da Cruz explica que o grupo tem como objetivo contribuir para a inovação em Oeiras, internacionalizar empresas locais e promover o empreendedorismo com uma incubadora de startups.

A Oeiras Valley Investment Agency (OVIA), esta quinta-feira apresentada, pretende “captar investimento” e fazer a “projeção internacional” do município e das empresas locais, indicou o presidente da administração da agência.

 

Em declarações à Lusa, o antigo embaixador e ex-ministro António Martins da Cruz, que preside ao conselho de administração da associação, explicou que esta agência tem três objetivos principais: contribuir para a inovação em Oeiras (no distrito de Lisboa), internacionalizar empresas locais e promover o empreendedorismo, com uma incubadora de startups ligadas à inovação tecnológica.

 

“No fundo, esta associação quer ser a expressão da diplomacia económica municipal em Oeiras“, resumiu António Martins da Cruz.

 

Para isso, a agência sem fins lucrativos propõe ajudar as empresas locais a ganhar “notoriedade” no mundo “aproveitando o ‘network’ [a rede] de contactos internacionais que se está a criar”, referiu o administrador.

 

A Oeiras Valley Investment Agency conta com 19 entidades fundadoras, como o banco Millennium BCP, a tecnológica Altice, o parque científico Taguspark ou a farmacêutica Edol, e tem cerca de 30 entidades interessadas em associarem-se.

 

Para ajudar na internacionalização, as empresas vão, em conjunto com a OVIA, “participar com confederações e federações empresariais em seminários especialmente vocacionados para o investimento externo, colaborar com o AICEP (Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal) e com as embaixadas portuguesas no exterior, e organizar deslocações ao exterior”.

 

António Martins da Cruz indicou uma das primeiras viagens ao estrangeiro: uma ida à cidade de San Jose (Estados Unidos) e a Silicon Valley para “sensibilizar empresas da área tecnológica que exercem lá a sua atividade” a investirem em Oeiras caso queiram vir para a União Europeia.

 

O antigo embaixador em Espanha (1999-2002) e ex-ministro dos Negócios Estrangeiros (2002-2003) salientou que a OVIA não é uma “entidade financiadora”.

 

“Se houver empresas sediadas em Oeiras que necessitam de financiamento no sentido de se internacionalizarem, o que a OVIA faz é pô-las em contacto com fundos de investimento e com entidades financeiras especializadas nesse espaço“, explicou.

 

A associação tem como eixos a inovação na educação, o empreendedorismo, o desporto e a tecnologia, tal como o desenvolvimento do cluster aeroespacial/defesa e da economia azul.

 

A apresentação decorreu à tarde no Parque dos Poetas e contou com a presença do presidente da Câmara Municipal de Oeiras, Isaltino Oeiras (independente), e do ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva.

 

Numa nota do município, o presidente da autarquia realçou a capacidade já existente de “geração de riqueza” no concelho, mas sublinhou que a autarquia quer “atrair mais investimento” e “afirmar a marca Oeiras Valley ao mercado internacional”.

Partilhar