NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O INE refere que “os aumentos estão fortemente influenciados pela evolução dos preços da produção de eletricidade, assim como do petróleo e seus derivados, incluindo os produtos químicos”.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) indicou, esta segunda-feira, que os preços na produção industrial aumentaram 18,7% em novembro de 2021 quando comparado com o período homólogo do ano anterior.

 

Os contributos mais intensos partem dos agrupamentos de energia e bens intermédios que obtiveram 10,4% e 6,3%, respetivamente, resultantes de variações homólogas de 60,4% e 17,1%, quando em outubro os valores registados eram de 50,6% e 15,5% pela mesma ordem. Excluindo o agrupamento de energia, a variação dos preços na produção industrial foi de 9,9% (8,8% em outubro).

 

O INE refere que “os aumentos estão fortemente influenciados pela evolução dos preços da produção de eletricidade, assim como do petróleo e seus derivados, incluindo os produtos químicos”.

 

Por sua vez, o índice da secção das indústrias transformadoras teve uma variação homóloga de 10% (9,2% no mês precedente), contribuindo com 9% para a variação do índice total.

 

Relativamente à variação homologa trimestral, o INE indica que a secção das indústrias transformadoras apresentou uma variação homóloga de 14,4% (11,3% no mês precedente), contribuindo com 12,9% para a variação do índice total”. A secção eletricidade, gás, vapor, água quente e fria e ar frio contribuiu com 5,5%, em resultado do aumento de 69,7% (74,2% no mês precedente). Excluindo esta secção, a variação dos preços na produção industrial situou-se nos 14,3% (11,3% no mês anterior).

 

Quanto à variação mensal, os preços na produção industrial apresentaram uma variação mensal de 1,6% em novembro (-0,5% em igual período de 2020). O agrupamento de energia registou o contributo de maior intensidade, 0,8% excluindo este agrupamento, os preços na produção industrial subiram 1,1% em novembro (variação idêntica ao mês anterior). Já a a secção das indústrias transformadoras registou um crescimento de 2,0% (variação de -0,7% no mesmo período de 2020) e um contributo de 1,8% para a variação do índice agregado.

Partilhar