NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Startup, que trabalha num modelo de trabalho full remote, quer duplicar a equipa até ao final do ano. Tem posições em aberto.

A portuguesa YData fechou uma ronda de financiamento (Seed) de 2,7 milhões de dólares (cerca de 23,4 milhões de euros) para acelerar expansão da start-up de preparação de dados, que acelera o desenvolvimento de soluções de Inteligência Artificial (IA), para os Estados Unidos e duplicar a equipa até ao final do ano. Têm 15 posições em aberto.

 

A ronda de financiamento foi liderada pelo fundo norte-americano Flying Fish Partners e teve a participação das sociedades de capital de risco portuguesas Faber e EDP Ventures, bem como dos business angels Steve Shwartz, Sergio Giacoletto e Carter Rabasa da 200 OK Ventures. A nova ronda surge depois de, em março de 2020, a start-up, fundada em 2019 por Gonçalo Martins Ribeiro e Fabiana Clemente, ter levantado 500 mil euros num investimento pre-Seed liderado pela Faber e participado pela EDP Ventures.

 

Wells Fargo, EDP, Verbund ou Telefónica são alguns dos clientes da start-up que criou a primeira plataforma de desenvolvimento centrada nos dados, e que torna o processo de “criação de um dataset de treino muito mais simples, rápido e barato”, refere nota de imprensa.

 

A plataforma introduz uma nova tecnologia — os dados sintéticos — que prometem resolver problemas desde a privacidade, a escassez de dados ou mesmo a falta de representatividade de classes. “Na prática, a YData proporciona diversos benefícios, como a melhoria de deteção de fraudes e anomalias, a simulação de cenários de pricing ou redes, a melhoria de modelação de risco de crédito, a partilha e monetização de dados, entre outros.”

 

Argumentos que convenceram a Flying Fish Partners — fundo norte-americano especializado em IA e liderado por ex-diretores de IA da Microsoft e da Amazon — a investir na start-up nacional.

 

“Na Microsoft, a nossa principal dificuldade ao construir sistemas de IA foram os dados. As equipas investiam imenso tempo, dinheiro e recursos de data science para garantir que tínhamos dados de alta qualidade e os datasets certos para construir os modelos que precisávamos. A empresa construiu o seu próprio sistema interno para mitigar este problema e estou orgulhoso por ver a YData a enfrentar um problema muito real que muitas empresas vão enfrentar, mas que não têm os recursos internos para o resolver. A nossa experiência com esta dificuldade aliada à equipa da YData que é incrível são as principais razões para a Flying Fish ter investido”, justifica Frank Chang, managing partner da Flying Fish Partners, citado em nota de imprensa.

 

Recrutamento em curso

 

“O investimento captado nesta ronda irá permitir à YData acelerar a sua estratégia de expansão global, com enfoque na internacionalização para os Estados Unidos e crescimento neste mercado, mantendo a equipa de desenvolvimento em Portugal”, informa em nota de imprensa. Financiamento irá também “permitir o reforço da equipa até ao final do ano.”

 

A start-up quer duplicar a equipa até ao final do ano, elevando dos atuais 15 para 30 o número de colaboradores. A start-up tem um modelo de trabalho full remote tendo várias posições em aberto focadas em data science, engenharia, mas também produto e marketing.

Partilhar