NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Empresa espanhola procura engenheiros, encarregados, oficiais e inspetores. Inscrições estão abertas até 10 de setembro.

A Repsol começou as contratações para a ampliação do complexo de Sines. A empresa espanhola abriu esta segunda-feira as candidaturas: procura 30 pessoas para as duas novas fábricas de polímeros, anunciadas em julho e que representam um investimento de 657 milhões de euros.
 

As vagas abertas destinam-se a engenheiros, encarregados, oficiais e Inspetores, nas especialidades de mecânica, automação, instrumentação e eletricidade; também há posições abertas para engenheiros de processo e de controlo avançado para outras áreas.

 

Os currículos podem ser enviados até 10 de setembro através desta página ou da morada da Repsol na rede social LinkedIn.

Em Sines será construída uma fábrica de polietileno linear (PEL) e uma fábrica de polipropileno (PP), cada uma com uma capacidade de 300 mil toneladas por ano. Prontas para entrar em funcionamento em 2025, as duas unidades, no total, vão criar cerca de 75 empregos diretos e 300 postos de trabalho indiretos, segundo o anúncio feito em julho.

 

Segundo a empresa, os novos produtos serão totalmente recicláveis e poderão ser utilizados para aplicações altamente especializadas, "alinhadas com a transição energética nas indústrias farmacêutica, automóvel ou alimentar".

 

Na fase de construção, serão criados, em médio, 550 empregos diretos; em alguns momentos, poderão ser mais de 1000 postos de trabalho.

 

O investimento terá um impacto de "mais de mil milhões de euros por ano na balança comercial", segundo a Aicep Global Parques, gestora da Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS).

 

Em operação desde 1981, o Complexo Industrial de Sines alberga a Repsol Polímeros, que detém ainda a concessão do terminal petroquímico do Porto de Sines.

Partilhar