NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A maior exportadora em Portugal, que conta com mais de cinco mil trabalhadores, vai fechar durante 13 dias devido à crise do coronavírus.

A paragem de 13 dias da Autoeuropa vai levar a fábrica a fábrica de Palmela a produzir menos 9.139 automóveis este ano, uma redução de 3,5% da produção face ao realizado no ano passado.

 

Em 2019, a Autoeuropa, que conta com mais de cinco mil trabalhadores, fechou o ano com um novo recorde de produção. A maior fábrica automóvel em Portugal produziu um total de 256.878 unidades, segundo os dados divulgados pela Associação Automóvel de Portugal (ACAP) em janeiro. Por dia, a fábrica da Volkswagen produz uma média de 703 automóveis por dia, pesando quase 75% na produção automóvel total em Portugal.

 

A maior exportadora em Portugal anunciou na terça-feira a paragem da produção devido ao surto de coronavírus, numa decisão que a Volkswagen alargou a todas as suas fábricas europeias. A paragem aconteceu num momento em que os trabalhadores da fábrica de Palmela também já tinham mostrado os seus receios com o coronavírus.

 

“Dada à presente deterioração significativa nas vendas e a incerteza em relação ao fornecimento de peças, a produção vai ser suspensa nas fábricas operadas pelas marcas do grupo”, anunciou o presidente executivo da Volkswagen, Herbert Diess, na terça-feira, citado pela Reuters.

 

Questionada pelo Jornal Económico sobre qual o impacto desta paragem na produção anual, ou se a produção iria ser recuperada depois, a Autoeuropa não quis fazer comentários.

 

Na segunda-feira, a fábrica portuguesa da Volkswagen anunciou que a produção diária iria ser reduzida de 890 para 744 unidades para “ajustar a fábrica às condições exigidas pelas autoridades nacionais”, mas na terça-feira decidiu encerrar a unidade até 29 de abril.

 

“A Volkswagen Autoeuropa está em permanente contacto com a administração da Volkswagen na Alemanha, com as autoridades nacionais e com a Comissão de Trabalhadores para tomar as decisões que garantam o normal funcionamento da fábrica, garantindo a saúde de todos os seus colaboradores e fornecedores”, disse a empresa na segunda-feira, antes do encerramento.

Partilhar