NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O português António Simões vai substituir Rami Aboukhair como presidente executivo da filial em Espanha.

O grupo bancário espanhol Santander acaba de anunciar que o seu atual diretor para a Europa, o português António Simões, vai substituir Rami Aboukhair como presidente executivo (CEO) da filial em Espanha.

 

Em informação enviada esta quarta-feira ao regulador espanhol do mercado de valores, o banco explica que tomou esta decisão para continuar a avançar na nova estrutura do "One Santander", uma das divisões em que se vai organizar a partir de agora, juntamente com o "Digital Consumer Bank" e o "PagoNxt".

 

António Simões mantém as funções de chefe regional para a Europa, enquanto a Rami Aboukhair foi nomeado como responsável dos Cartões e Soluções Digitais para todo o grupo, um lugar recentemente criado que reporta diretamente ao presidente executivo do grupo (CEO), José Antonio Álvarez.

 

António Simões é desde setembro último diretor regional para a Europa do grupo Santander e a ele reportam os gestores das filiais em Espanha, Reino Unido, Portugal e Polónia.

 

O português esteve anteriormente vários anos no banco britânico HSBC, onde liderou várias unidades de negócio ao longo de 12 anos, em Londres e Hong Kong, e previamente foi sócio da McKinsey & Company em Londres e também trabalhou na Goldman Sachs.

 

António Simões também é atualmente membro do comité de gestão e depende do presidente executivo (CEO) do grupo Santander, José António Álvarez.

 

O grupo Santander é uma das maiores entidades bancárias a nível mundial e fechou 2020 com um prejuízo de 8.771 milhões de euros, que contrasta com o lucro de 6.515 milhões de euros que obteve em 2019, devido à covid-19 e à situação em várias filiais.

 

O grupo que é dono em Portugal do Santander Totta anunciou hoje lucros de 1.608 milhões de euros no primeiro trimestre de 2021, quase cinco vezes mais do que um ano antes, quanto teve de constituir provisões de 1,6 mil milhões de euros devido à pandemia.

Partilhar