NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Cimeira vai focar-se no reforço da parceria entre as regiões para as preparar para novos desafios, como as consequências da covid-19 e da guerra, as transições ecológicas e digitais e a retoma da ordem internacional.

A presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou esta segunda-feira um grande investimento da União Europeia (UE) nos países da América Latina e das Caraíbas, no arranque da primeira cimeira entre os dois blocos em oito anos.

 

"A UE vai investir muito nos países da América Latina e das Caraíbas", anunciou a presidente da Comissão no final de uma reunião com o Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, à margem da cimeira da União Europeia com os países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC).

 

Sem concretizar o investimento que vai ser feito, von der Leyen disse que os 27 querem também "diversificar as cadeias de abastecimento" e ajudar a "reduzir as desigualdades".

 

Mas o principal ponto é o acordo do Mercosul: "Queremos, finalmente, chegar à meta!"

 

A capital belga, Bruxelas, acolhe esta segunda e terça-feira a primeira cimeira em oito anos da UE com os países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), que contará com mais de 50 líderes, entre os quais Lula da Silva e o primeiro-ministro português, António Costa.

 

Esta que é a terceira cimeira da UE com a CELAC vai focar-se no reforço da parceria entre as duas regiões para as preparar para novos desafios, como as consequências da covid-19 e da guerra da Ucrânia causada pela invasão russa, as transições ecológicas e digitais e a retoma da ordem internacional baseada em regras.

Partilhar