NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Vidreira Ideal do Fundão vai investir cerca de dois milhões de euros para ampliar a fábrica e criar uma unidade de produção de vidro laminado, disse hoje à agência Lusa o sócio gerente da empresa Vítor Rebordão.

“Trata-se de um investimento muito importante para a empresa e também para o setor vidreiro em Portugal, desde logo porque passamos a ter uma nova oferta e não ficamos dependente de terceiros e passamos a ser nós a solução”, apontou.

 

Segundo explicou, tal permitirá à empresa produzir vidro laminado temperado e vidro laminado em chapa, o chamado vidro de segurança que quando parte fica seguro e não cai, e cuja produção no país é bastante limitada.

 

O investimento abrange a construção de um novo pavilhão, que ficará junto à unidade fabril que a empresa já tem na zona industrial do Fundão, bem como a aquisição de maquinaria de alta tecnologia para a produção de vidro laminado.

 

Esta nova aposta também vai permitir criar mais 15 postos de trabalho, passando dos atuais 60 para 75 trabalhadores.

 

A obra será lançada no dia 10 de setembro e o objetivo da empresa é o de que a nova unidade possa entrar em funcionamento entre maio/junho.

 

Esta empresa, que faz 46 anos em novembro, tem uma carteira de clientes espalhada por todo e país e estrangeiro, estando associada a várias obras de relevo, como, por exemplo, os pavilhões de Portugal e de Espanha na Expo 98 ou mais recentemente uma piscina em vidro, na Comporta, que tem 40 metros de comprimento e que será a maior piscina em vidro em Portugal.

 

O Miradouro no pilar da Ponte 25 de Abril, o Banco Nacional de Cabo Verde ou duas torres de 26 pisos em Angola são outras das construções que contam com a marca da Vidreira Ideal do Fundão.

Partilhar