NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A economia portuguesa terá observado uma contração de 7,6 por cento em 2020, segundo estimativa do Instituto Nacional de Estatística, a mais severa desde 1996, devido aos efeitos da atual crise pandémica.

No âmbito das relações económicas externas, de acordo com dados publicados pelo INE, em janeiro de 2021 as exportações de bens ascenderam a 4,6 mil milhões de euros, contra 5,1 mil milhões de euros em igual período de 2020, ou seja, um decréscimo de 506 milhões de euros (variação -9,8 por cento). No mesmo período, as Importações totalizaram 5,5 mil milhões de euros e diminuíram 1,1 mil milhões de euros, apresentando uma variação de -17,2 por cento. Estes resultados determinaram um défice da balança comercial de bens de 834 milhões de euros, correspondente a um desagravamento de 630 milhões de euros.

 

Espanha foi o principal destino das nossas exportações de bens com uma quota de 27,4 por cento no total, tendo o Japão registado a maior variação positiva (12 milhões de euros; variação de 112,6 por cento) e a Alemanha a maior redução (-67 milhões de euros; variação de -11,2 por cento).

 

No que respeita ao investimento direto (ID) de Portugal com o exterior, o fluxo de ID líquido de Portugal no exterior (IDPE) totalizou 2,0 mil milhões de euros em 2020, correspondente a uma redução de 985 milhões de euros face ao ano anterior. Quanto ao fluxo de ID líquido do exterior em Portugal (IDE) ascendeu a 5,5 mil milhões de euros, uma quebra de 5,3 mil milhões de euros comparativamente a 2019.

 

Consulte os indicadores económicos aqui.

Partilhar