NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O setor das Viagens e Turismo foi gravemente afetado pela pandemia, com um colapso das receitas a nível mundial. A Statista Consumer insights explorou o crescimento das receitas através de canais online, ao mesmo tempo que analisa o desempenho de segmentos individuais no setor das Viagens e Turismo.

O fim das restrições impostas pela Covid-19 foi uma bênção para muitos setores. Agora que os receios relacionados com a pandemia também estão a desaparecer cada vez mais da mente das pessoas, o mundo está lentamente a voltar ao normal. Mas há uma tendência que se manifestou especialmente durante os confinamentos que persiste: A importância cada vez maior dos canais online. Esta é uma notícia especialmente boa para o setor das viagens e do turismo.

 

O setor do turismo regressa à normalidade após o abrandamento da pandemia

 

O setor do turismo foi possivelmente a indústria mais atingida em tempos de pandemia, com as receitas em 2020 a caírem para menos de metade dos níveis de 2019, de acordo com a Statista Mobility Market Insights. A recuperação da pandemia também foi mais lenta no mercado de Viagens e Turismo do que noutros setores – as receitas permaneceram abaixo dos níveis pré-pandémicos durante três anos consecutivos.

 

2023 é o primeiro ano que sugere que a indústria do turismo está de volta ao normal, com as receitas a subirem finalmente acima dos níveis de 2019 para um total de 855 mil milhões de dólares a nível global, de acordo com as previsões da Statista Mobility Market Insights, e prevê-se um maior crescimento para os próximos anos.

 

Mas a pandemia teve um impacto duradouro na forma como os consumidores reservam as suas viagens. Tal como noutros sectores, a tendência já existente para a digitalização e as reservas online foi impulsionada.

 

Mais de 2/3 das receitas totais em viagens e turismo geradas online até 2023

 

A quota de receitas online no total do mercado global de Viagens e Turismo subiu 6 pontos percentuais acima dos valores da pandemia, de 63% em 2019 para 69% em 2023, de acordo com a Statista Mobility Market Insights. Por outras palavras, mais de dois terços de todas as receitas do mercado serão geradas através de canais online em 2023. E o crescimento do setor online não tem fim à vista.

 

Até 2027, as receitas offline representarão apenas um quarto de todas as receitas do mercado global de Viagens e Turismo. Este é um forte sinal para os fornecedores de viagens investirem mais no negócio online se não quiserem perder o rasto.

 

As reservas de hotéis e de alugueres para férias geram as maiores receitas online

 

No entanto, quando se analisa o mercado mais de perto, torna-se claro que o domínio dos canais online não é igualmente forte em todos os segmentos de mercado. Enquanto alguns já são altamente orientados para a Internet, outros ainda têm um longo caminho a percorrer:

 

 

Uma análise dos diferentes segmentos de mercado mostra que são as reservas de hotéis e de alugueres para férias que estão a impulsionar principalmente as vendas online no mercado global de Viagens e Turismo.

 

Os dois segmentos geram 76% e 71% das suas receitas online em 2023, respetivamente, e estão, portanto, acima da quota média online no mercado total. As férias organizadas, como as ofertas com tudo incluído, também têm um forte segmento em linha, com dois terços das receitas geradas online em 2023.

Partilhar