NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As vendas no sector da distribuição alimentar em Espanha e Portugal vão crescer 7,3% em 2023, após terem aumentado 7,9% em 2022, ultrapassando os 124.000 milhões de euros, devido à subida dos preços aplicada para fazer face ao aumento dos custos, de acordo com dados do estudo sectorial Distribuição Alimentar-Mercado Ibérico recentemente publicado pelo Observatório Sectorial DBK da Informa.

Em concreto, o volume de negócios dos hipermercados, supermercados e estabelecimentos de cash & carry aumentou, no ano passado, em Espanha para 104.410 milhões de euros, mais 7%, enquanto em Portugal registou um crescimento superior, de 12,8%, situando-se nos 19.660 milhões.

 

O relatório confirma a crescente valorização por parte da população da proximidade dos pontos de venda, que continuou a favorecer o volume de negócios dos supermercados e lojas em livre serviço, que ganharam quota de mercado. Assim, as receitas agregadas deste tipo de estabelecimentos registaram uma variação, em 2022, no conjunto do mercado ibérico, de 7,7%, para 99.580 milhões de euros, destacando-se a evolução positiva dos estabelecimentos discount.

 

Por seu turno, o volume de negócios dos hipermercados atingiu 18.330 milhões de euros, mais 4,9% do que em 2021, enquanto a recuperação da procura no sector da restauração levou a um aumento acentuado das receitas de cash & carry em 2022.

 

Perspetivas

 

Desta forma, o Observatório DBK estima que as vendas no sector subam para 133.150 milhões de euros em Espanha e Portugal, o que representa um aumento de 7,3%. O aumento do volume de negócios, este ano, verificar-se-á apesar da subida significativa da procura de produtos alimentares na hotelaria e restauração e será largamente apoiada pelo aumento adicional dos preços.

 

O aumento dos custos e a deterioração das previsões macroeconómicas continuarão a pesar sobre as margens no curto prazo, num contexto de elevada sensibilidade aos preços dos clientes. Desta forma, espera-se uma intensificação da concorrência, um reforço das promoções e descontos para incentivar a procura e um novo aumento da quota de mercado das marcas de distribuição.

 

Em Ecommerce

Partilhar