NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

“Começámos em 2014 com quatro pessoas. Hoje temos mais de 400 pessoas de 28 nacionalidades”, disse Hasle na apresentação do espaço. “Temos ainda nos planos contratar mais 200 funcionários até ao fim do ano. Portugal tem profissionais de excelência e também capacidade de atrair os melhores talentos”.

A Uber inaugura esta quinta-feira, 16 de setembro, o Centro de Excelência do Sul da Europa em Portugal, num investimento que ascende a 90 milhões de euros.

 

A partir de agora, a empresa de mobilidade conta com um escritório em Lisboa a partir de onde controla todas as operações do grupo nos países do sul da Europa, composto por uma equipa de 400 funcionários.

 

Desde a chegada a Portugal, em 2014, a empresa já realizou um investimento de 30 milhões de euros e tem nos planos investir mais 30 milhões nos próximos quatro anos.

 

O número elevado de trabalhadores que ocupam os cinco pisos do edifício da Uber no centro da capital portuguesa promete não ficar por aqui. A empresa já tem nos planos a contratação de mais 200 colaboradores até ao final do presente ano.

 

Nas palavras de Régis Hasle, diretor sénior de operações de clientes para a Europa, “a Uber encontrou uma casa a longo prazo em Lisboa”. O diretor assegurou ainda que a criação e o lançamento de novos produtos vai ainda passar por este hub em Lisboa. Os planos da Uber perspetivam que “Lisboa continue a ser uma casa, e atraia talento”.

 

“Começámos em 2014 com quatro pessoas. Hoje temos mais de 400 pessoas de 28 nacionalidades”, disse Hasle na apresentação do espaço. “Temos ainda nos planos contratar mais 200 funcionários até ao fim do ano. Portugal tem profissionais de excelência e também capacidade de atrair os melhores talentos”.

 

Este novo centro vai interligar toda a região sul da Europa, interligando o conhecimento sobre os utilizadores, motoristas e colaboradores de entregas, bem como de desenvolvimento de produto e tecnologia.

 

Além de concentrar toda a atividade de Portugal, o hub vai também oferecer suporte a nove países europeus, entre os quais França, Espanha, Itália, Grécia, Israel, Turquia, Alemanha e Croácia. Régis Halse não descura ainda a possibilidade deste centro vir ainda a oferecer suporte a mais países.

 

Anabel Diaz, diretora-geral regional de rides da EMEA, admitiu na inauguração que Portugal tem atualmente uma cobertura a 100% pelos serviços da Uber, mas que se quer continuar a expandir. “O mercado português tem sido um polo de inovação e crescimento onde pudemos criar a testar produtos como o Uber Green ou a expansão do serviço a 100% do território”.

 

Os planos de descarbonização da Uber mantém-se atuais. Até 2025, a empresa de mobilidade quer que 50% das viagens realizadas sem livres de emissões. Ainda assim, Anabel Dias aponta que “o caminho da descarbonização ainda é longo”.

 

Atualmente, e de acordo com a diretora de rides, a mobilidade já regressou a níveis de 2019. “A realidade mudou. Aproximou o carro pessoal e abandonou os carros partilhados”, apontou Anabel Diaz, abordando o efeito da pandemia nas contas da Uber.

“Estamos empenhados em descarbonizar o sector do ride-hailing, seja multimodal ou de micromobilidade”, assegurou, caso o investimento na modalidade ‘verde’ ainda não fosse percetível com a aposta em veículos sem emissões, como os carros elétricos, as trotinetes e as bicicletas.

Partilhar