NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Macau registou uma deflação de 0,13% nos 12 meses terminados em novembro, em relação em igual período imediatamente anterior, foi hoje anunciado.

As secções da recreação e cultura (menos 6,76%) e das comunicações (menos 6,36%) tiveram os maiores decréscimos, indicou, em comunicado, a Direção dos Serviços de Estatísticas e Censos (DSEC).

 

O índice de preços no consumidor (IPC) geral do mês passado aumentou 1,21% comparativamente ao mesmo mês do ano passado, sobretudo devido à subida dos preços da gasolina, dos bilhetes de avião, das refeições adquiridas fora de casa, do gás de petróleo liquefeito e dos salários dos empregados domésticos.

 

Estes aumentos foram atenuados pela diminuição das rendas de casa e do preço da carne de porco, indicou.

 

Nos 11 primeiros meses deste ano, o IPC geral médio decresceu 0,06%, em relação ao mesmo período de 2020.

 

O Fundo Monetário Internacional (FMI), que reviu em baixa as previsões para o crescimento económico de Macau em 2021, previu uma deflação de 0,3% para este ano e uma inflação de 2% em 2022.

Partilhar