NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O chefe do Governo de Macau defendeu em entrevista à Lusa que a criação de uma nova metrópole mundial chinesa, que inclui Macau, vai reforçar a cooperação sino-lusófona e a formação de quadros bilingues chinês-português.

O projeto da Grande Baía prevê construir uma metrópole mundial a partir de Hong Kong, Macau e nove cidades da província chinesa de Guangdong (Dongguan, Foshan, Cantão, Huizhou, Jiangmen, Shenzhen, Zhaoqing, Zhongshan e Zhuhai), numa região com cerca de 70 milhões de habitantes e com um Produto Interno Bruto que ronda os 1,3 biliões de dólares norte-americanos - maior que o PIB da Austrália, Indonésia e México, países que integram o G20.

 

"A participação dos países de língua portuguesa na construção da Grande Baía Guangdong-Hong Kong-Macau e na iniciativa 'Uma Faixa, Uma Rota' pode servir [para] elevar (...) e alargar o espaço de cooperação, de modo a que os frutos da abertura da China possam ser partilhados por todos, enquanto se avança com um desenvolvimento que proporciona benefícios mútuos", salientou Fernando Chui Sai On, em entrevista exclusiva por escrito.

Partilhar