NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Tecnológica faz balanço dos dois programas de formação que tem em Portugal. Empresa pretende fazer novos treinos de programação em Android em 2020, com mais conteúdos e novas instituições de ensino parceiras.

A Google já ensinou diferentes competências digitais – marketing, comércio eletrónico, otimização para motor de busca e relação online com o cliente, por exemplo – a 68 mil portugueses através do programa Atelier Digital, revelou no início da semana Nuno Pimenta, da Google Portugal, num evento no início da semana. Já a iniciativa focada no ensino de programação para Android foi concluída por 3300 pessoas, revelou a tecnológica à Exame Informática.

 

“Há muitos anos que na Google Portugal temos estado a investir localmente para o crescimento do ecossistema como um todo. Desde 2016 que iniciamos o Atelier Digital, que é um dos nossos principais programas de formação, treinamos mais de 68 mil pessoas e temos estado a contribuir para que as pessoas ganhem novos conhecimentos e possam progredir nas suas carreiras”, sublinhou o responsável pelas áreas de startups, retalho e viagem durante o anúncio do Google REx.

 

Mais recente é a formação em programação Android. A iniciativa foi anunciada formalmente em 2018 e lançada em março de 2019. “Em Portugal, 3300 pessoas foram treinadas nas sessões do Android Training Program que decorreram em vários pontos do país. O objetivo do programa tem sido conectar futuros profissionais do mundo do desenvolvimento de aplicações da Web ao enorme catálogo de formação online e gratuita que existe”, explicou em resposta por e-mail Andrés Martínez, responsável pela ligação com a comunidade de programadores Android em Portugal e Espanha.

 

O curso, gratuito e disponível online, teve também uma componente presencial graças à parceria com várias instituições do ensino superior e que fizeram formações do treino de programação em Android, como foram os casos das universidades de Aveiro, Covilhã, Coimbra, Braga, Nova e Porto, e dos institutos politécnicos de Setúbal, Cávado e Ave, Gaia, Viana do Castelo e Leiria.

 

A formação foi procurada sobretudo por “alunos de escolas técnicas e de informática”, revela Andrés Martínez, com o foco a estar em ferramentas de programação para o Android 10, a versão mais recente do sistema operativo móvel da Google.

 

“O nosso objetivo foi oferecer ainda mais recursos aos estudantes – acreditamos que o Android Training Program é mais um contributo na formação destes alunos. Além do conteúdo puramente técnico (de programação Java e outras tecnologias), foram apresentados outros recursos de formação, como a Udacity e o Google Codelab que oferecem formação gratuita e atualizada sobre o desenvolvimento de aplicações Android e também sobre cloud, machine learning e desenvolvimento web”, detalhou o espanhol.

 

Apesar da pandemia provocada pela Covid-19, o responsável pelas relações com programadores adianta que a Google está a trabalhar para criar novas formações Android ainda em 2020, “expandindo o conteúdo e o número de centros”.

Partilhar