NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A base de clientes fixa “continua a aumentar, atingindo mais de 677 mil no final de março de 2019, representando um crescimento de 11,3% em relação ao ano anterior”, revelou a Vodafone, que salientou que os últimos três meses do ano fiscal representaram o “14.º trimestre consecutivo de crescimento de receitas”.

As receitas totais da Vodafone Portugal subiram 2,1% para 1,030 mil milhões de euros em 2018, em comparação com igual período do ano anterior, segundo os dados relativos ao ano fiscal terminado em março de 2019, divulgados pela telecom liderada por Mário Vaz, esta terça-feira, 14 de maio.

 

As contas de 2018 ainda contam com o primeiro trimestre de 2019, uma vez que esta empresa integra o grupo britânico, cotado na Bolsa de Londres, onde a apresentação de resultados anuais compreende o ano fiscal, e não o ano civil.

 

Em comunicado, a operadora de telecomunicações fez saber que as receitas de serviços acompanharam o crescimento das receitas totais, crescendo 2,4%, para 967,1 milhões de euros.  “Estes resultados são impulsionados pelo crescimento continuado a dois dígitos do negócio fixo, apoiado na expansão de fibra de última geração em todo o país, a qual já chega a 3,2 milhões de habitações e empresas”, salientou a empresa.

 

A base de clientes fixa “continua a aumentar, atingindo mais de 677 mil no final de março de 2019, representando um crescimento de 11,3% em relação ao ano anterior”, revelou a Vodafone, que salienta que os últimos três meses do ano fiscal representaram o “14.º trimestre consecutivo de crescimento de receitas”.

 

Mário Vaz salientou, ainda, que estes números são fruto da “expansão da rede de fibra suportada por construção própria, e acordos de parceria ou de wholesale [retalho grossista], reveladores da nossa capacidade em alcançar bases de entendimento estáveis com diferentes players do setor, promovendo uma maior eficiência do investimento, incrementando a concorrência em benefício do país que se pretende mais competitivo e inclusivo”.

 

No segmento móvel, no final de março, a operadora registou 4,7 milhões de clientes, valor que representa mais 1,8% que em período homólogo. Em igual período, os clientes 4G ascenderam a 2,1 milhões e a penetração de smartphones foi  de 77,1%. Já a utilização dos dados móveis cresceu 18,5%.

 

O representante máximo da Vodafone Portugal salientou, contudo, que a “a tendência mais positiva nas receitas não tem paralelo com o nível expressivo de crescimento da utilização das redes, em particular no que se refere aos dados móveis. Este ‘gap’ [diferença] entre crescimento de utilização da rede e estabilização de utilizadores e receitas no segmento móvel, coloca especiais desafios aos operadores, mas igualmente ao país”.

 

Em relação ao último trimestre do exercício, referente ao primeiro trimestre de 2019, as receitas totais cresceram 1,4%, para 249 milhões de euros, face a igual período homólogo. Já as receitas de prestação de serviços ascenderam a 236 milhões de euros, uma subida de 1,8%.

 

O primeiro trimestre foi marcado pelo lançamento dos canais Eleven Sports e pela parceria exclusiva com a HBO Portugal, “com o objetivo [da Vodafone Portugal] reforçar a oferta de conteúdos aos seus clientes”.

Partilhar