NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As empresas do setor da Construção e Obras Públicas contam agora com uma Linha dedicada de Seguro Caução para Obras no Exterior com Garantia do Estado, no valor de €100 milhões, gerida pela COSEC no âmbito do Sistema dos Seguros de Créditos com Garantia do Estado (SCGE).

A criação desta nova Linha de Seguro Caução para Obras no Exterior com Garantia do Estado, que abrange a generalidade dos mercados, à exceção dos países da União Europeia, enquadra-se no Programa Capitalizar Mercados Externos e no Programa Internacionalizar, estabelecidos pelo Governo. As candidaturas podem ser, desde já, feitas online, através de scge.cosec.pt.

 

“O setor da Construção e Obras Públicas é neste momento um dos mais internacionalizados da economia, estando as empresas portuguesas a ganhar uma importante presença em diversos mercados externos. Esta Linha de Seguro Caução tem por objetivo facilitar, em especial, às PME e MidCap do setor, o acesso a projetos internacionais, através da obtenção de garantias bancárias normalmente exigidas”, refere Maria Celeste Hagatong, Presidente do Conselho de Administração da COSEC.

 

Protocolos para divulgação e cooperação

A COSEC assinou protocolos com a AICCOPN – Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas e a AECOPS – Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços, com vista à divulgação desta Linha de Seguro Caução junto dos respetivos associados.

 

Para além disso, foram assinados protocolos de colaboração com onze instituições financeiras: Caixa Geral de Depósitos, Banco BPI, Banco Comercial Português (Millennium bcp), Banco Santander Portugal, Bankinter – Sucursal em Portugal, BBVA Portugal, Caixa de Crédito Agrícola Mútuo, Caixa Económica do Montepio Geral, EuroBic, Montepio Investimento, Novo Banco.

“Estes protocolos reforçam a divulgação desta ferramenta para as empresas. No caso das instituições financeiras, para além da divulgação da Linha junto dos seus clientes, pretendem estabelecer bases de colaboração na montagem de operações em que seja requerido o recurso a esta Linha”, acrescenta Maria Celeste Hagatong.

 

A COSEC tem já estabelecido um plano de trabalho com estas associações e as instituições financeiras, com o objetivo de realizar sessões de formação e esclarecimento sobre esta Linha.

 

Construção representa 15,7 por cento das exportações nacionais

O setor da construção atingiu, em 2017, um volume internacional de negócios de €10,7 mil milhões, o que representa um valor equivalente a 15,7 por cento das exportações nacionais (excluindo o Turismo).

Considerando apenas a atividade internacional das empresas portuguesas nos mercados internacionais de construção em 2017, verifica-se que a mesma foi distribuída por 35 países, e continuou centrada nos mercados de África e da América Central e do Sul. 

 

No continente Africano, observou-se um crescimento de 10 por cento do volume de negócios das empresas, para €2.438 milhões, mantendo-se como a região do mundo com maior peso no volume de negócios das empresas portuguesas de construção nos mercados internacionais, 48,2 por cento. 

 

A América Central e do Sul foi a região onde se verificou um maior dinamismo, ao registar um crescimento de 22 por cento face a 2016, elevando do volume de negócios das empresas para €2.094 milhões.

 

Partilhar