NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Depois de uma desaceleração em dezembro, subiu em janeiro e desde o mês de fevereiro que se apresenta em queda.

O índice de volume de negócios na indústria registou uma variação homóloga nominal de -2,5% em março, tendo sido de 0,3% no mês que lhe precedeu. Esta quebra em março correspondeu a uma taxa inferior em 2,8 pontos percentuais (p.p.), revelam os dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

 

O índice relativo ao mercado nacional diminuiu 5,0%, tendo já apresentado uma quebra de -1,0% em fevereiro, enquanto o do mercado externo aumentou 1,0%, tendo sido de 2,1% no mês anterior. No primeiro trimestre de 2019, a variação homóloga das vendas na indústria situou-se em 0,4% (2,2% no trimestre anterior).

 

A quebra do mercado nacional para -5,0%, acentuou a diminuição homóloga em 4,0 p.p. em março, enquanto o índice do mercado externo apresentou uma desaceleração de 1,1 p.p.

 

O principal contributo para a variação do índice total foi o agrupamento de Energia, que acentuou a redução homóloga em 4,0 p.p., fixando-se a sua variação em -12,7% em março. Os Bens de Consumo contribuíram com -0,6 p.p., em resultado da redução de 2,3%, sendo que apresentou uma variação nula em fevereiro. Por sua vez, os agrupamentos de Bens de Investimento e de Bens Intermédios registaram crescimentos de 5,4% e 0,5% (7,2% e 3,8% em fevereiro, respetivamente), contribuindo conjuntamente com 1,1 p.p. para a variação do índice total.

 

Em termos homólogos, as vendas na indústria para o mercado nacional diminuíram 0,9% no total do primeiro trimestre de 2019, tendo apresentado um crescimento de 4,0% no trimestre anterior. O índice de vendas na indústria com destino ao mercado nacional apresentou um crescimento mensal de 5,9% (10,3% em março de 2018).

 

Já no primeiro trimestre de 2019, as vendas na indústria para o mercado externo apresentaram um aumento homólogo de 2,3%, quando no trimestre anterior tinham diminuído 0,5%. O índice de vendas na indústria com destino mercado externo registou um aumento mensal de 3,4% (4,5% em março de 2018).

 

Em comparação com o mesmo período homólogo, os índices de emprego e de remunerações apresentaram aumentos de 1,2% e 3,0%, tendo sido de 1,3% e 3,4% em fevereiro, seguindo a mesma ordem. No entanto, o índice de horas trabalhadas diminuiu 2,2% (variação de 4,9% no mês anterior).

 

Os índices de emprego, de remunerações e de horas trabalhadas registaram crescimentos mensais de 0,4%, 2,8% e 0,6% em março (0,4%, 3,2% e 7,8% em igual período de 2018), respetivamente.

Partilhar