NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto e a Efacec lideram um novo laboratório colaborativo, o Vasco da Gama CoLAB, que pretende desenvolver “soluções que respondam aos desafios da transição energética”.

A Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e a Efacec lideram um novo laboratório colaborativo, o Vasco da Gama CoLAB, que pretende desenvolver “soluções que respondam aos desafios da transição energética”, revelou esta terça-feira o responsável.

 

Em declarações à agência Lusa, Adélio Mendes, coordenador do Vasco da Gama CoLAB e investigador da FEUP, explicou hoje que o laboratório pretende ser “um centro de excelência na área do armazenamento de eletroquímicos de energia”.

 

“O objetivo é criar em Portugal um centro de excelência na área do armazenamento de energia”, afirmou o investigador Laboratory for Process Engineering, Environment, Biotechnology and Energy(LEPABE) da FEUP.

 

O Vasco da Gama CoLAB, formalmente constituído em novembro, conta com um financiamento de três milhões de euros do Programa Operacional Norte 2020 e da Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT).

 

Liderado pela FEUP e pela empresa Efacec, este laboratório, que tem como objetivo “conceber soluções que respondam aos desafios da transição energética”, assenta em três pilares de desenvolvimento tecnológico: baterias de escoamento de vanádio, supercondensadores e eletrónica de potência e gestão inteligente de energia.

 

“São áreas separadas, mas que se integram, uma vez que convergem todas num objetivo comum”, disse Adélio Mendes, acrescentando que as mesmas permitirão tornar o centro “numa referência”.

 

“Enquanto todos os outros andam distraídos com o lítio e outras tecnologias, pensamos que podíamos atacar estas áreas e tornar-nos grandes aí, essa é a nossa estratégia”, referiu.

 

O laboratório colaborativo, que está neste momento sediado na FEUP, será essencialmente para “produzir valor social e económico” ao permitir preencher um “espaço em aberto” entre os centros de investigação fundamental e as empresas, garantiu Adélio Mendes.

 

“Um dos objetivos que se espera com este laboratório é a criação de novas empresas e a esse respeito o que queremos é, efetivamente, ter a experiência de criar novas empresas”, disse.

 

Adélio Mendes adiantou ainda que neste momento está a ser negociada a passagem do laboratório para as instalações do Instituto Politécnico do Porto (IPP).

 

Até ao momento já foram contratos nove investigadores especializados nas três áreas de estudo, sendo que o objetivo é que a equipa do Vasco da Gama CoLABseja constituída por 28 investigadores.

Partilhar