NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A Missão Alentejo Global Invest decorre na Califórnia, e, como explicou à Lusa o CEO da aicep Global Parques, Filipe Costa, visa atrair investimento industrial à região alentejana e promover o Porto de Sines enquanto porto de entrada na Europa. A missão decorre até ao próximo dia 10 de Maio.

Em declarações à Lusa, Filipe Costa explicou que a promoção de Sines é uma de duas vertentes da missão conjunta na Califórnia – a outra prende-se com a captação de investimento agro-industrial no vale central da Califórnia. Assim, a comitiva lusa por terras californianas integra não só a Associação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, mas também a Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva.

 

Missão promove potencial geoestratégico do Porto de Sines no mercado do GNL…

A primeira paragem deste roteiro fez-se no Porto de Oakland – seguir-se-ão visitas aos portos de San Diego, Los Angeles e Long Beach. Uma das prioridades da missão é a promoção de Sines como ponto de entrada das exportações de gás natural liquefeito (GNL) dos Estados Unidos para a Europa; a outra é atrair investimento das indústrias petroquímica e química da Califórnia para a Zona Industrial e Logística de Sines (ZILS), capitalizando nas infra-estruturas existentes, desde o terminal de granéis sólidos ao terminal petroquímico.

 

…e desperta «o interesse americano para o concurso do terminal de contentores»

«A representação portuguesa promove a localização estratégica de Sines, as suas infra-estruturas e a capacidade instalada já existentes para posicionar Portugal como receptor, primeiro beneficiário e reexportador» de GNL, explicou o responsável à Lusa. Outra dos focos de interesse desta missão prende-se com a expansão do Porto de Sines (Terminal Vasco da Gama): «A nossa ideia é despertar o interesse norte-americano para o futuro concurso para o terminal de contentores Vasco da Gama, com a expectativa de que haja vários consórcios a nível mundial a concorrer», disse.

Partilhar