NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A empresa Infraestruturas de Portugal e a Administração do Porto de Setúbal estão a apostar na maximização da operacionalidade da linha férrea de ligação ao cais, permitindo o aumento da capacidade de recepção de comboios, com redução dos custos de operação e reforço da segurança da circulação ferroviária.

Um consórcio é o responsável pelo desenvolvimento dos estudos que “visam a eliminação dos constrangimentos na circulação dos comboios de mercadorias nas estações de Praias-Sado e no Porto de Setúbal”.

 

Os estudos e projectos a cargo do consórcio integrado pelo Grupo Quadrante incluem a alteração de pequenos troços de via na zona de receção/expedição do Porto de Setúbal, um novo feixe de expedição, a supressão e/ou reclassificação de passagens de nível e a electrificação das linhas existentes e novas associadas ao transporte ferroviário de mercadorias, significando um investimento total estimado de cerca de 17 milhões de Euros.

 

“A rede ferroviária da Península de Setúbal desempenha um papel primordial no transporte de passageiros e de mercadorias. As ligações proporcionadas pela confluência das linhas do Sul e do Alentejo, ligando os portos de Lisboa, Setúbal e Sines entre si e, futuramente, à rede Europeia, conferem a este subsistema um importante posicionamento estratégico. Para além disso, o papel que o Porto de Setúbal desempenha, hoje em dia, na movimentação de mercadorias, exige uma contínua melhoria dos acessos ferroviários” – diz-nos Tiago Costa, Administrador e Responsável pela área de Transportes do Grupo Quadrante.

 

O Porto de Setúbal é actualmente o segundo maior porto nacional, depois de Sines, na movimentação de mercadorias por ferrovia, razão pela qual a contínua melhoria dos acessos ferroviários ao mesmo é um projeto essencial para a materialização de cadeias logísticas multimodais eficientes que potenciem o desenvolvimento e alargamento do seu hinterland, sendo um dos objectivos estabelecidos na “Estratégia para o aumento da competitividade portuária”, apresentada pelo Governo.

 

Fundada em 1998, a portuguesa Quadrante desenvolve actividade mundialmente, nomeadamente em Portugal, Roménia, Argélia, Gana, Angola, Moçambique, Tanzânia, África do Sul, Cabo Verde, Brasil, Chile, Peru e Colômbia.

Partilhar