NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Presidente chinês, Xi Jinping, realçou hoje o "novo ponto histórico" nas relações entre China e Portugal, durante a receção ao Presidente da República portuguesa, Marcelo Rebelo de Sousa, no Grande Palácio do Povo, em Pequim.

"Neste novo ponto histórico, estamos dispostos a, junto com Portugal, enriquecer a parceria estratégica global", afirmou Xi Jinping.

 

Lisboa e Pequim estabeleceram, em 2005, uma Parceria Estratégica Global, visando reforçar a cooperação nos domínios político, economia, língua, cultura e educação, ciência e tecnologia, justiça e saúde.

 

O chefe de Estado chinês sublinhou a "excelência" das relações bilaterais, referindo a troca de visitas de chefes de Estado no espaço de menos de meio ano.

 

Lembrou que, durante a sua visita a Portugal, em dezembro passado, realizou uma troca de opiniões "aprofundada" com o homólogo português, sobre as relações bilaterais e questões internacionais do "nosso interesse".

 

"Foi agradável a nossa conversa, e chegamos vários consensos, que se estão agora a transformar em resultados concretos", disse Xi Jinping.

 

O líder chinês enalteceu a realização de eventos culturais paralelos nos dois países, ao longo de 2019, incluindo festivais de cinema, literatura, teatro ou música, num programa pensado pelos dois governos, em celebração do 40.º aniversário das relações entre Portugal e China.

 

Louvou também os "avanços substanciais" no projeto de lançamento do primeiro satélite português, estabelecido aquando da visita de Xi a Lisboa, com a criação de um laboratório conjunto de investigação e desenvolvimento tecnológico para o espaço e para os oceanos.

 

O satélite português, designado "Infante", tem lançamento previsto para 2021.

 

No final da visita, os líderes dos dois países testemunharam a assinatura de um memorando de entendimento para o Estabelecimento de um Diálogo Estratégico, que implica um encontro, a ser realizado anualmente, na China ou em Portugal, entre os ministros dos Negócios Estrangeiros, e consultas políticas regulares, sobre temas bilaterais e de política internacional.

 

Foi ainda assinado um protocolo relativo à cooperação para o ensino do chinês no ensino secundário português e um acordo-quadro focado na exportação para mercado terceiros.

 

As conversações decorreram no Grande Palácio do Povo, no centro de Pequim, depois de uma cerimónia de boas vindas com guarda de honra, salvas de canhão e os hinos nacionais de cada um dos dois países tocados por uma banda militar.

 

Dezenas de crianças agitando bandeiras de Portugal e da China saudaram os dois presidentes.

 

Na avenida que passa no topo norte da praça Tiananmen, frente à imponente tribuna de cor de púrpura que dá o nome do local - Porta da Paz Celestial (Tiananmen) -, os candeeiros estavam ornamentados com as bandeiras dos dois países.

 

Portugal e a República Popular da China estabeleceram relações diplomáticas a 08 de fevereiro de 1979.

 

As relações bilaterais ficaram marcadas, nas primeiras duas décadas, pelo processo de transição de Macau para a soberania chinesa, mas, nos últimos anos, voltaram-se a intensificar, à medida que o país asiático se tornou num dos principais investidores em Portugal.

Partilhar