NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As vendas da Bosch Portugal aumentaram 13% em 2018 para 1,7 mil milhões de euros, com a empresa a alcançar valores recordes pelo terceiro ano consecutivo após investimentos em torno de 111 milhões de euros no país.

Os números foram hoje divulgados em conferência de imprensa, em Lisboa, pelo presidente do grupo Bosch em Portugal e Espanha, Javier González Pareja, e pelo representante da Bosch em Portugal, Carlos Ribas.

 

À semelhança do negócio global e face à conjuntura de incerteza internacional relacionada com as questões comerciais EUA/China e o 'Brexit' (saída do Reino Unido da União Europeia), espera-se uma estabilização do negócio em Portugal para os próximos anos, algo aliás que já se faz sentir nos primeiros três meses do ano.

 

Das vendas totais de 1,7 mil milhões de euros -- que incluem vendas de empresas não consolidadas e serviços internos a empresas parceiras -- mais de 90% diz respeito a exportações (a grande maioria com a Europa central como destino, mas também para alguns clientes nos EUA e mercados asiáticos), num total de 50 países em todo o mundo, segundo os responsáveis.

 

No mercado interno, a Bosch Portugal registou vendas consolidadas de 308 milhões de euros, 28% acima do nível de 2017.

 

"Foi mais um ano de sucesso extraordinário", disse Carlos Ribas, destacando que o número de trabalhadores aumentou em 850 em Portugal para um total de 5.300 trabalhadores em 2018, sobretudo nas áreas de Investigação e Desenvolvimento (I&D) nas fábricas de Braga, Aveiro, Ovar e Lisboa.

 

Com base na análise do primeiro trimestre deste ano, Javier González Pareja, espera que "a evolução comercial seja 'flat' [estável] em Portugal em 2019".

 

Não obstante, a empresa pretende continuar a crescer "ainda mais na área de I&D e expandir as nossas parcerias de inovação com centros de conhecimento e competências em Portugal".

 

Em 2018, o grupo Bosch investiu 111 milhões de euros em Portugal, principalmente nos centros de I&D e na expansão da sua fábrica em Braga, onde trabalham atualmente cerca de 3.700 trabalhadores de 17 nacionalidades, à qual foram adicionados 20.000 metros quadrados de área de produção e escritórios no sentido de atender à crescente procura das suas soluções por parte dos vários clientes.

 

Em 2019, a Bosch tem já previsto um investimento adicional de 80 milhões de euros no país para dar continuidade à expansão das instalações em Braga e Ovar, prevendo contratar cerca de 250 engenheiros.

 

Em termos globais, o grupo Bosch anunciou que o lucro antes de juros e impostos (EBIT) de operações atingiu 5,5 mil milhões de euros, tendo criado perto de 8.000 postos de trabalho em todo o mundo, dos quais metade direcionados para as áreas de I&D.

 

Apesar do elevado investimento em áreas como a eletrificação e a automação da mobilidade, a margem EBIT das operações melhorou novamente em 2018, passando de 6,8% em 2017 para 7,0%.

 

Para 2019, num contexto de moderação da evolução económica - com a multinacional a prever que o crescimento da economia mundial seja de apenas 2,3% - e apesar do ambiente difícil em setores e regiões que são importantes para a Bosch, o grupo antecipa que as vendas em ultrapassem os níveis de 2018, embora os primeiros três meses do ano tenham tido registo de vendas similares às do ano anterior.

Partilhar