NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

A OCDE estimou que enquanto durar o período de quarentena completa em Espanha, a economia do país verá a sua produção cair 30%.

Em pleno combate contra os efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) em Espanha, sabe-se agora que a economia espanhola poderá perder 49 mil milhões de euros num mês. O número é avançado pelo jornal El País, que estima, devido às medidas de restrição impostas, ao Estado de Emergência e à suspensão de atividade das empresas, que o produto interno bruto (PIB) espanhol recue 4% em apenas um mês.

 

O jornal diz que o cenário é inédito em Espanha, lembrando que nunca o aparelho produtivo espanhol tinha parado perante uma pandemia. Por isso, a decisão do Governo de Pedro Sánchez de suspender todas as atividades, com execeção dos serviços essenciais, poderá levar a perdas significativas na economia espanhola.

 

A OCDE estimou que enquanto durar o período de quarentena completa em Espanha, a economia do país veja a sua produção cair 30%. Já estudos da Fundación de Estudios de Economía Aplicada (Fedea), do BBVA Research e da Fundação Rafael del Pino, citados pelo El País, apontam que o PIB de Espanha cairá entre 4% e 8% em 2020.

 

O cenário levanta preocupações em Espanha, tendo em conta que, por exemplo, no caso da China, uma das duas maiores economias do mundo a par dos EUA, a queda de atividade foi de pelo menos 20% na maioria dos indicadores económicos até março. Em França, apesar das medidas anunciadas para combater o surto epidemiológico, 65% da atividade económico mantém-se face ao normal.

 

Já esta segunda-feira, a Comissão Europeia revelou que a confiança dos consumidores teve o maior recuo mensal de sempre. Espanha foi uma das economias afetadas.

 

De acordo com a última atualização dos números de vítimas mortais por Covid-19, nas últimas 24 horas, Espanha registou 812 mortos, uma ligeira redução do número de vítimas num só dia, elevando o balanço total para 7.340.

 

Os números do Ministério da Saúde espanhol revelam ainda um aumento de 6.398 no número de infetados, menos do que os 6.549 novos casos anunciados no domingo.

 

A Espanha é o segundo país no mundo com maior número de mortes, depois da Itália que tem 10.779 vítimas mortais em 97.689 casos registados até domingo.

Partilhar