NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Para o CEO do Lloyds Bank, os bancos portugueses "estão a apresentar resultados positivos", mas não devemos ser "complacentes" porque ainda há muito para recuperar.

Para António Horta Osório, os bancos nacionais “estão a apresentar resultados positivos” e estão “no bom caminho”. Contudo, o CEO do Lloyds Bank reconhece que o país “não pode ser complacente” porque ainda há muito para fazer e, essencialmente, para recuperar.

 

“O setor bancário está, claramente, a ir em boa direção. Temos que ter em conta que em muito contribuiu a capitalização que fizeram na Caixa Geral de Depósitos. Isso não contribuiu só para a estabilização da CGD, mas também de todo o sistema“, começou por dizer o banqueiro, em declarações durante a conferência “Exportações e Investimento” da AICEP, que decorre esta sexta-feira na Nova School of Business and Economics, em Carcavelos.

 

Os níveis de crédito malparado são um dos três principais problemas apontados por Horta Osório na economia portuguesa. “Ainda há muito para fazer”, continuou, referindo que “10% de malparado ainda é muito alto”, referindo-se à “promessa” de seis bancos nacionais em reduzir em mais de dez pontos percentuais o rácio de crédito malparado num prazo de três anos.

Partilhar