NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O Cluster Português para as Indústrias de Aeronáutica, Espaço e Defesa, realizou entre os dia 6 e 8 de outubro, a sua grande Conferência Anual, "AED Days", dedicada aos setores da Aeronáutica, Espaço e Defesa. Esta 7ª edição reuniu todo o ecossistema nacional e internacional de especialistas dos três setores, num formato 100 por cento digital.

A abertura do evento esteve a cargo do Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, e do Presidente do AED Cluster Portugal, José Neves. No primeiro dia de Conferência foi desenvolvida uma abordagem macro a temas relevantes do setor, como a geopolítica e o seu impacto na indústria aeroespacial, as transformações no corrente mercado e a forma como os setores da AED podem contribuir para uma maior sustentabilidade. Também a importância de Portugal estar presente no programa Next Generation da União Europeia, como potenciador de resiliência e autonomia estratégica, assim como a necessária aposta na transição digital dos setores AED, foram alguns dos pontos em debate. 

 

Os AED Days tinham como principal objetivo envolver todo o ecossistema nacional dos setores AED, juntamente com os principais atores mundiais garantindo aos participantes que, mesmo ocorrendo num formato digital, o evento mantinha a sua essência e a sua mais-valia. A nossa visão, para esta 7ª edição, era que o evento contribuísse para a contínua evolução e desenvolvimento da indústria portuguesa, face à transformação digital e ecológica que já mobiliza estes sectores. Considerando a exposição internacional já alcançada, o evento tem também catalisado o posicionamento da indústria Portuguesa como um ator relevante nos mercados globais da Aeronáutica, do Espaço e da Defesa. Neste sentido, podemos dizer que o evento foi um sucesso e o Cluster AED retirou conclusões importantes para os três setores no nosso país, de que é exemplo o Plano de Recuperação Nacional como uma oportunidade para impulsionar o ecossistema a nível da sua sustentabilidade, resiliência e autonomia estratégica, para além de alavancar o ótimo caminho de evolução que temos feito até aqui.”, explica José Neves, presidente do AED Cluster Portugal.

 

Nos dias 7 e 8 de outubro, as discussões foram mais técnicas, abordando temas como o impacto da COVID-19 nos setores e as oportunidades que têm vindo a surgir nesta altura de pandemia; os desafios que a força naval tem vindo a enfrentar e que terá de lidar no futuro; as melhores formas de promover uma maior competitividade na área da aviação; como podemos utilizar a tecnologia aeroespacial para prevenção e combate aos fogos florestais; entre outros.

 

Paralelamente a estas discussões, decorreu ainda o Fórum de Exposição Virtual, que contava com stands em 3D e permitia o agendamento de reuniões B2B entre os vários participantes.

 

A imagem de Portugal no exterior é a de um país que tem investido fortemente na qualificação dos seus recursos humanos, e que possui todas as capacidade necessárias para competir através do desenvolvimento de produtos inovadores e de elevada qualidade. Neste sentido, a presença nacional em eventos e missões internacionais, dinamizada pela AED e suas congéneres nos últimos anos, tem contribuído inegavelmente para a criação de uma imagem consistente do sector AED português em todo o mundo. Os AED Days 2020 foram, sem dúvida, mais um marco que cimentou esta reputação”, conclui o responsável.

 

Nesta 7ª edição foi conseguida, uma vez mais, a presença dos grandes stakeholders internacionais como a Airbus, a Bell Flight, a Embraer, a Eviation Aircraft, a Thales ou a Northrop Grumman, bem como decisores políticos em representação da Comissão Europeia, como o Diretor da DG-DEFIS (Defence Industry and Space) e o Responsável da Política de Aviação da DG-R&D (Research and Development).

 

Este ano, a Conferência Anual do Cluster contou com mais de 760 participantes – um recorde de assistências – com a presença de mais de 300 empresas de 23 países. Destas, 70 por cento eram empresas portuguesas e 30 por cento internacionais, com maior afluência do Canadá, África do Sul, Coreia do Sul e Reino Unido.

 

Tendo em conta a importância dos três setores para o futuro, a aposta do AED Cluster Portugal para este evento foi promover a possibilidade dos participantes terem a oportunidade única de debater os desafios presentes e o futuro destes setores, encontrando colaborações e parcerias de negócios com os atores nacionais e internacionais das indústrias da Aeronáutica, Espaço e Defesa.

Partilhar