NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O novo Marketbeat Portugal Outono 2020 da consultora Cushman & Wakefield, revela que mesmo num ano marcado pela pandemia da Covid-19, o investimento em imobiliário atingiu 2.330 milhões de euros entre Janeiro e Setembro, correspondendo a um aumento de 36% face ao período homólogo.

Segundo o relatório, este resultado foi influenciado pela concretização de algumas operações de grande dimensão, que contribuíram para um novo recorde no valor médio por transacção, duplicando o ano anterior e situando-se nos 67 milhões de euros.

 

A previsível quebra na receita operacional dos imóveis (particularmente nos sectores de actividade mais afectados) e a maior aversão ao risco pelos bancos no financiamento de transacções imobiliárias contribuíram para o abrandamento da actividade de investimento no segundo trimestre do ano que, com 141 milhões de euros transaccionados, registou uma quebra homóloga de 80%. Esta tem no entanto vindo a recuperar gradualmente ao longo do terceiro trimestre, com enfoque em logística e escritórios e nos segmentos core e core+.

 

Neste enquadramento, as estimativas de volume total de investimento para este ano situam-se na ordem dos 2.700 milhões de euros, uma quebra homóloga de 15%, registando ainda assim o terceiro máximo histórico de sempre em Portugal.

 

O capital nacional duplicou o volume investido (485 milhões de euros) no período em análise, mas os investidores estrangeiros continuaram a dominar a actividade de investimento imobiliário em Portugal, tendo sido responsáveis até ao terceiro trimestre por 80% do volume total transaccionado. A maior transacção desde que há registo, a aquisição de 50% da joint-venture Sierra Prime pela Allianz Real Estate e Elo à Sonae Sierra e APG, por cerca de 800 milhões de euros; contribuiu para que o sector de retalho tenha liderado a procura, atraindo 46% do total investido, com 1.058 milhões de euros. Seguiu-se o sector de escritórios, com 35% do volume total (cerca de 810 milhões de euros). Neste sector, destaque para a venda pela Kildare Partners, após dois anos de detenção, do Lagoas Park à Henderson Park Capital Partners por 421 milhões e euros e do portfolio PREOF pela Finsolutia à Cerberus por um valor estimado em 150-170 milhões de euros. O sector hoteleiro captou 13% do capital investido, na ordem dos 310 milhões de euros.

 

Neste contexto, as yields prime corrigiram ligeiramente em alta face a 2019, nomeadamente para os 4,10% em escritórios, 4,25% no comércio de rua e 5,10% em centros comerciais, refletindo um aumento entre os 10 e os 35 pontos base face ao final de 2019. Face ao aumento da sua atratividade, o setor industrial foi a excepção e, após um ligeiro aumento no segundo trimestre, encontra-se atualmente ao mesmo nível do início do ano, nos 6,00%.

Partilhar