NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

As exportações portuguesas em saúde cresceram 14,5% no ano passado, um reforço que é mais um passo num importante caminho.

Produtos farmacêuticos de base, preparações farmacêuticas, equipamento de radiação e eletromedicina, instrumentos e material médico-cirúrgico. Nunca antes se vendeu para fora tanto do que aqui se produz nesta área.

As exportações portuguesas em saúde cresceram 14,5% no ano passado, para um novo recorde de 1,5 mil milhões de euros, revela a AICEP. Os dados vêm do INE e mostram um reforço deste setor na economia do país.

 

Comentando os melhores resultados de sempre em comunicado ao Dinheiro Vivo, Salvador de Mello, que lidera o Health Cluster Portugal (HCP), sublinha que “esta evolução positiva traduz o investimento persistente que tem vindo a ser feito pelas empresas nacionais na sua aposta de internacionalização e está em linha com o pacto de competitividade e internacionalização para a Saúde, assinado no ano passado entre o Ministério da Economia e o HCP”. O plano passa por ir além dos 2,5 mil milhões em vendas ao exterior nos próximos cinco anos, uma fasquia que o setor parece bem lançado para atingir.

 

Em Portugal o setor da saúde representa um volume de negócios anual na ordem dos 30 mil milhões, revela o Health Cluster, adiantando que o valor acrescentado bruto desta área ronda os 9 mil milhões, envolvendo “perto de 90 mil empresas e empregando quase 300 mil pessoas”.

 

O crescimento agora registado e que fecha o ano vem concretizar os números partilhados a meio do ano e que davam já conta de uma evolução superior a 7%, para um total de quase 700 milhões de euros em exportações. (Leia mais aqui)

Partilhar