NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

O EIT Health organiza anualmente o Concurso "EIT Health RIS Innovation Call" com o objetivo de apoiar projetos inovadores na área da saúde. Estes projetos são desenvolvidos por equipas de investigadores de regiões em desenvolvimento na Europa Central, Oriental e do Sul, o que inclui startups portuguesas bastante promissoras.

Nos últimos dois anos foram concedidos apoios a 6 startups da Roménia e Eslovénia, 3 de Itália, Portugal e Croácia e 1 da Estónia, Eslováquia, Grécia, República Checa, Letónia e Lituânia. Neste concurso, cada projeto escolhido recebe apoio financeiro, oportunidades de aconselhamento e de matchmaking e acesso à rede dos principais mentores europeus na área da saúde, com o propósito de ajudar as equipas a desenvolver as suas soluções inovadoras.

 

No caso português, em 2020 foram concedidos apoios a três projetos nacionais:

LIBRA – plataforma digital que visa promover e sustentar comportamentos saudáveis na obesidade, desenvolvida pela Promptly Health, uma spin-off da Universidade do Porto e Centro Hospitalar Universitário de São João, com apoio adicional da Universidade do Porto;

 

FRADE – plataforma para deteção de quedas, avaliação e prevenção de riscos de quedas, a cargo da Associação Fraunhofer Portugal Research e da Escola Superior de Enfermagem do Porto, com apoio adicional da Universidade do Porto;

 

ADHERENCE – projeto que promove a adesão à terapêutica no tratamento da hipertensão e Auto monitorização da pressão arterial com recurso à câmara do smartphone e processamento avançado de imagem por CINTESIS e MEDIDA, uma spin-off da Universidade do Porto, com apoio adicional da Universidade do Porto.

 

“Um pouco por todo o mundo, os sistemas e profissionais de saúde tiveram que enfrentar este ano desafios muito sérios, devido à pandemia do coronavírus. E, infelizmente, parece que é um desafio longe de terminar. Portanto, agora é ainda mais importante apoiar iniciativas de saúde pioneiras e inovadoras, que forneçam novas soluções e facilitem a vida a pacientes, médicos e respetivas equipas, com um processo de cura mais eficaz. O nosso objetivo é apoiar a próxima geração de inovadores a estabelecer os negócios emergentes na área da saúde” – explica Mónika Tóth, Gestora do Programa RIS do EIT Health InnoStars

 

Enquanto em 2019 cerca de 33 por cento dos projetos apoiados se centraram em big data, soluções em Cloud, aplicações e plataformas móveis, esse número aumentou para quase 40 por cento em 2020 – valor que vai ao encontro da tendência global, já que os prestadores de cuidados de saúde criam uma enorme quantidade diária de dados. Como tal, há uma grande necessidade de encontrar soluções capazes de analisar e interpretar esses dados. Isso é ainda mais importante em tempos de pandemia.

Partilhar