NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Este material de proteção individual será entregue, gratuitamente, aos hospitais do norte, do centro e de Lisboa e vale do Tejo a partir de 6 de abril”.

A OLI, produtora portuguesa de autoclismos e outros equipamentos de higiene, está já a produzir 20 mil viseiras pr semana para doar aos profissionais de saúde e ajudá-los no tratamento dos doentes com o coronavírus.

 

“Na fábrica sediada em Aveiro, que se encontra a laborar 24 horas por dia e sete dias por semana, serão fabricadas 20 mil unidades por semana e 80 mil por mês. Este material de proteção individual será entregue, gratuitamente, aos hospitais do norte, do centro e de Lisboa e vale do Tejo a partir de 6 de abril”, assegura um comunicado da OLI.

 

Segundo esse documento, “para o desenvolvimento deste projeto foi determinante as competências de engenharia da OLI Moldes, uma moderna unidade industrial que a OLI inaugurou há dois anos no seu complexo industrial, com o objetivo fabricar moldes complexos para as indústrias automóvel e hidro-sanitária de todo o mundo”.

 

“A OLI foi desafiada pela empresa ERISING e pelo INEGI para produzir, em condições e quantidades industriais, um suporte de viseira para entregar aos hospitais. Rapidamente, adaptámos para a tecnologia de injeção de plástico o ‘design’ de um suporte da viseira individual de proteção, desenvolvido pelo projeto colaborativo humanitário Covid-19 que envolve ISEP, FEUP, INEGI e LAETA”, adianta António Oliveira, presidente da OLI.

 

O mesmo responsável acrescenta que “este modelo de viseira tem a particularidade de dispor de duas versões, com ou sem cobertura superior, consoante a sua utilização hospitalar, em combinação com outros equipamentos de proteção como cogulas e fatos”.

 

“Este é um dos equipamentos de que os profissionais de saúde mais precisam para lutar contra a pandemia, por isso, aceitamos este desafio no primeiro momento”, explica António Oliveira.

 

“Se a procura o justificar, poderemos avançar com um novo molde com maior capacidade de produção. Pensamos ainda informar os nossos parceiros de Espanha e de Itália para a possibilidade de oferecermos estas viseiras para serem distribuídas nas unidades hospitalares das suas regiões”, acrescenta o presidente da OLI.

 

A OLI recalama ser a maior produtora de autoclismos da Europa do Sul. Exporta 80% da produção para 80 países dos cinco continentes.

 

Em 2019, registou um volume de negócios de 60 milhões de euros. A empresa integra 431 colaboradores em Portugal.

 

A fábrica trabalha ininterruptamente 24 horas por dia, sete dias por semana, e tem uma produção anual de 1,9 milhões de autoclismos e 2,8 milhões de mecanismos, sendo a única empresa portuguesa a produzir autoclismos interiores.

Partilhar