NewDetail

AICEP
Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal

CABEÇALHO

Hoje, dia 14, estarão reunidos cerca de 1500 visitantes profissionais e 150 oradores. Ao longo de um só dia (dez horas de trabalho) irão debater, sob o mote da exportação e da internacionalização, o potencial e as tendências de evolução do comércio internacional.

A 13ª edição do Portugal Exportador, iniciativa organizada pela Fundação AIP, Novo Banco e pela aicep Portugal Global, dirigida às pequenas e médias empresas (PME) que estão a dar os primeiros passos no processo de internacionalização e que querem explorar e diversificar novos mercados de exportação, decorrerá das 9h00 às 19h de hoje, dia 14, no Centro de Congressos de Lisboa, na Junqueira.

 

Promotor do evento desde o primeiro ano, o Novo Banco assegura que o Portugal Exportador mantêm “uma grande atualidade e importância para as PME pois os desígnios e de há uma dúzia de anos atrás mantém-se”, afirma António Ramalho, presidente do Novo Banco, ao Jornal Económico. Em seu entender, continua a ser estratégico para que o “país aumente o número de empresas exportadoras, para diversificar mercados de exportação e incorporar cada vez mais valor nos produtos exportados”.

 

Apesar de considerar que nos últimos anos foi feito “um bom trabalho ao aumentar a base exportadora nacional e ao exportar cada vez mais bens com maior valor acrescentado”, reconhece que esse esforço tem que continuar , frisando que 24% das exportações nacionais estão concentradas nas 20 maiores empresas exportadoras nacionais e 67% das empresas exportadoras ainda só exporta para um mercado. “Isto quer dizer que ainda temos, todos, muito trabalho pela frente e que o Portugal Exportador faz mais sentido do que nunca e é por isso que o Novo Banco se mantém na organização. Apoiar as PME exportadora é o desígnio do Novo Banco”, conclui.

 

Certo de que este “este vai ser o mais concorrido e melhor evento de sempre”, António Ramalho afirma que continua a quer mais, ambicionando por isso que esta iniciativa, já considerada como o maior evento de promoção das exportações e da internacionalização em Portugal, seja também reconhecido como “um evento onde, para além das empresas acederem a informação sobre mercados, possam interagir com parceiros nacionais e internacionais, através de reuniões B2B e que possam no curto prazo traduzir-se em negócios concretizados”.

 

Esta ambição conduz à inovação constante e este ano, assegura, traduz-se “num Portugal Exportador 2018 mais dinâmico e orientado para os resultados”, que traz várias novidades entre as quais se destaca a organização de workshops, durante todo o dia, dedicados a clusters setoriais (Agroalimentar, Automóvel, Construção e eCommerce).

 

Também se mantém os Workshops de Mercados, nesta edição com Angola, China, Espanha e Estados Unidos em destaque, e os Cafés Temáticos, espaços que vão receber os contributos de algumas embaixadas, câmaras de comércio e associações setoriais.

Partilhar